A contabilidade do Palácio do Planalto

09/08/2015 11:03

Por *Gerson Camarotii

Essa semana, no Palácio do Planalto, foi feita uma contabilidade pragmática por petistas e auxiliares diretos da presidente Dilma Rousseff: é preciso ter 200 votos garantidos na Câmara dos Deputados. Essa é a margem de confiança para o número mínimo de 172 votos para barrar a abertura de um processo de impeachment. 

Para o início do processo de impedimento, são necessários 342 votos. Num gabinete palaciano, a contabilidade acendeu a luz vermelha entre os ministros: hoje, o governo só tem 130 votos seguros. “É preciso aumentar essa margem”, observou um dos participantes da reunião. 

Chegou-se a conclusão de que é preciso mudar a estratégia: ao invés de ficar tentando agradar cerca de 300 deputados, a ordem é atrair os 70 votos restantes para assegurar a manutenção do mandato da presidente Dilma. “Não podemos ficar refém exclusivamente do (Michel) Temer. Temos que definir nossa própria estratégia”, completou essa fonte. 

 

*Gerson Camarotti é comentarista político da GloboNews e repórter especial do Jornal das Dez. Jornalista formado pela Unicap com pós-graduação em ciência política pela UnB, 

 

Fonte: G1 blog do Camarotti - http://g1.globo.com/politica/blog/blog-do-camarotti/1.html