Bispos africanos dão boas-vindas ao Papa

24/11/2015 21:24

Bispos africanos dão boas-vindas ao Papa e invocam a paz no mundo

Acra (RV) - Os bispos africanos dão suas “calorosas boas-vindas” ao Papa Francisco, que nesta quarta-feira inicia sua primeira viagem apostólica ao continente.

Num comunicado difundido ao término da reunião do Comitê permanente do “Simpósio das Conferências Episcopais da África e Madagascar” (SECAM/SCEAM), que se realizou em Acra, capital de Gana, de 16 a 20 do corrente, os prelados evidenciam com alegria que a visita do Santo Padre se dá poucas semanas após o Sínodo sobre a família, fazendo votos de que ela sirva para “reforçar a fé dos pertencentes à nossa Igreja Família de Deus, e nos confirme em nossos profundos valores cristãos e africanos”.

Estamos convencidos de que a família é e permanece sendo a base fundamental e indispensável da vida social e pedimos a todos os nossos povos e governos que se comprometam a apoiar as famílias africanas e a proteger os valores fundamentais das nossas culturas”, prosseguem os bispos.

Não ao terrorismo e às guerras

A mensagem fala também acerca dos sangrentos eventos e ataques terroristas na França, em vários países africanos, no Oriente Médio e em outros países, condenando “todo ato de terrorismo em qualquer parte do mundo” e pedindo “a quem os realiza e a quem os financia que dê fim a tais práticas”.

Em seguida, o apelo em prol da paz na África: “Unimo-nos a todos aqueles que trabalham em favor da paz e da reconciliação nas áreas atormentadas da África e do mundo, especialmente no Burundi, Sudão do Sul, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, Nigéria, Quênia, Líbia e em outras partes dos países norte-africanos”.

Em nome de Deus fazemos apelo a todas as partes em conflito nessas áreas a fim de que deponham as armas e empreendam o caminho do diálogo e da paz para o bem das futuras gerações.”

Apelo em favor da paz e da reconciliação para encontrar a misericórdia de Deus

Concluindo, os bispos africanos dirigem-se a todos os países do continente a fim de que no Ano Africano para a Reconciliação lançado pelo SECAM em 29 de julho passado, e em vista do iminente Jubileu da Misericórdia, “possamos todos ser verdadeiramente reconciliados uns com os outros e com Deus, nosso Pai Misericordioso”.

Somente assim poderemos encontrar a misericórdia de Deus que traz como fruto uma coexistência harmoniosa e desenvolvimento” – concluem os bispos africanos.