Capital da Bélgica eleva nível de alerta

21/11/2015 23:34

Capital da Bélgica eleva nível de alerta ao máximo por risco de ataque

Por Philip Blenkinsop

 

 

 

BRUXELAS (Reuters) - A Bélgica colocou o estado de alerta para sua capital, Bruxelas, no nível mais alto neste sábado, fechando o metrô e alertando a população para evitar multidões por causa de uma ameaça "grave e iminente" de ataque.

 

Uma semana após os ataques de Paris realizados por militantes do Estado Islâmico, dos quais um suspeito de Bruxelas está foragido e é apontado por autoridades como altamente perigoso, a cidade foi colocada no nível superior "quatro" em escala de ameaça do governo, depois de uma reunião dos principais ministros, a polícia e serviços de segurança.

 

Soldados faziam a segurança em partes de Bruxelas, incluindo as instituições da União Europeia com sede na cidade. Bruxelas é também a sede da Otan.

 

"O resultado de informações relativamente precisas apontou para o risco de um ataque parecido com o que ocorreu em Paris", disse o primeiro-ministro belga, Charles Michel, em entrevista coletiva no sábado.

 

"Nós estamos falando sobre a ameaça de vários indivíduos com armas e explosivos lançarem um ataque talvez em vários locais ao mesmo tempo", afirmou Michel.

 

Ele se recusou a dar mais detalhes, mas disse que o governo vai rever a situação na tarde de domingo.

 

O sistema de metrô permanecerá fechado até então, de acordo com a recomendação do centro de crise, afirmou ele.

 

O órgão de crise do governo informou que estava pedindo às autoridades locais para cancelar grandes eventos, exortar as pessoas a evitar multidões, adiar partidas de futebol, fechar o metrô de Bruxelas para o fim de semana e intensificar a presença militar e policial.

 

"O conselho para a população é evitar lugares onde muitas pessoas se reúnem, como centros comerciais, shows, eventos ou estações de transporte sempre que possível", disse um porta-voz do centro de crise.

 

O militante suspeito Salah Abdeslam, de 26 anos, voltou para Bruxelas a partir de Paris após os ataques, quando seu irmão mais velho Brahim se explodiu em um café.

 

Autoridades francesas disseram que os ataques que mataram 130 pessoas foram planejados em Bruxelas por um homem local, Abdelhamid Abaaoud, de 28 anos, que lutou pelo Estado Islâmico na Síria e foi morto no cerco a um apartamento no subúrbio parisiense de St. Denis na quarta-feira.

 

 

© Thomson Reuters 2015 All rights reserved.