Card. Betori: povo apóia o Papa - Rádio Vaticano

12/11/2015 00:20

Card. Betori: povo apóia o Papa e lhe pede que siga adiante

Cidade do Vaticano (RV) - Uma grande festa popular: assim foi a visita do Papa Francisco a Florença, capital da região italiana da Toscana, por ocasião do Congresso Eclesial Nacional. A Rádio Vaticano entrevistou o anfitrião, Cardeal Giuseppe Betori, que acompanhou o Santo Padre passo a passo e nos diz quais imagens ficaram impressas dessa visita do Pontífice:

Card. Giuseppe Betori:- “Em primeiro lugar, uma grande gratidão ao Papa. Estive ao lado dele durante o dia inteiro e, de todos os pontos de vista, sua dedicação ao povo é algo de admirável. Seu estar no meio de nós – com essa disponibilidade –, acariciar as crianças, ir ao encontro das pessoas como se deu no almoço com os pobres, os gestos com os detentos: uma série de atenções que fazem-no realmente próximo das pessoas. Por isso o povo não tem dificuldade a querer bem a um homem assim, a um pastor desse modo. Claro, o problema é para nós – digamos assim –, é para nós pastores, que temos este outro exemplo a seguir. Porém, ele nos diz também como fazer para estar alinhado com ele: basta sermos pastores no meio do povo.”

RV: Antes de o Papa chegar a Florença o senhor dizia: “Todos os florentinos aguardam-no como um pai”. Foi justamente o que vimos...

 

Card. Giuseppe Betori:- “Foi isso mesmo. E lhe digo as frases mais ouvidas ao longo do percurso até o estádio municipal. A frase mais comum era: “Francisco, nós lhe queremos bem!”, e essa é expressão de um sentimento de afeto. A outra era: “Grande Francisco!”, ou seja, o reconhecimento da importância daquilo que está fazendo pela Igreja neste momento. “Grande Francisco!”: esse era o adjetivo típico com o qual acompanhavam o seu nome. Por fim, a outra era: “Resiste Francisco!” E um florentino disse ainda: “Francisco, siga adiante!”, isto é, não olhe para os empecilhos, não se deixe estagnar! Trata-se de alguém que expressou o sentido de apoio que o povo dá neste momento à ação do Papa na Igreja e na sociedade.”

 

RV: No memorável discurso na Catedral de Florença, dirigindo-se ao Congresso Eclesial Nacional, Francisco falou de uma Igreja verdadeiramente “livre”...

 

Card. Giuseppe Betori:- “Sim, uma Igreja livre: obediente somente ao Evangelho. A liberdade da Igreja não é uma liberdade sem referências. Há uma grande referência, que é o Evangelho e que é a pessoa de Jesus: ele começou o discurso partindo da pessoa de Jesus. Portanto, não é simplesmente uma questão de atitudes, mas é uma forte referência a nossa ligação com Cristo, que retomou no final de seu discurso recorrendo ao ponto de agarra que lhe dava nossa Catedral, em cuja cúpula está escrito “Ecce Homo” (Eis o Homem), acima da figura do Cristo juiz. Efetivamente, a história florentina – a cultura e o humanismo florentinos – reconheceu o homem, “Ecce Homo” em Jesus. E nessa referência a Jesus está a nossa história. Diria que esta é a verdadeira mensagem que o Papa nos dá hoje: quando nos referimos a Cristo somos livres de tudo e de todos. E tudo o mais são coisas secundárias que pertencem aos tempos e que mudam, são modeladas segundo as necessidades das pessoas.”

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!