Desemprego alcança 7,9% em outubro, o maior para o mês desde 2007

19/11/2015 11:25

Por Robson Sales | Valor Econômico

 

RIO - (Atualizada às 9h48) A taxa de desemprego de seis grandes regiões metropolitanas do país aumentou para 7,9% em outubro, de acordo com dados da pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o pior resultado para o mês desde 2007, quando o índice havia ficado em 8,7%.

 

Em setembro, o desemprego alcançou 7,6%. Em outubro do ano passado, o nível de desocupação estava em 4,7%.

 

O indicador de desocupação ficou acima da média de 7,6% apurada pelo Valor Data junto a 18 consultorias e instituições financeiras.

 

O IBGE mostrou que a população desempregada aumentou 3,2% em setembro, ou 60 mil pessoas a mais, e saltou 67,5% perante outubro de 2014, alta recorde para a série, iniciada em 2002, ou 771 mil pessoas a mais em busca de trabalho. O contingente de desempregados ficou em 1,9 milhão.

 

Ainda na comparação com outubro de 2014, o crescimento da população desocupada também foi o maior da série nas regiões metropolitanas de São Paulo (avanço de 86,2%, mais 383 mil pessoas) e em Belo Horizonte (alta de 82,4%, incremento de 76 mil pessoas).


Com relação à população empregada, de 22,5 milhões, houve queda de 1% (230 mil pessoas) ante setembro e redução de 3,5% (825 mil pessoas) ante outubro do ano passado.

 

Renda

O rendimento médio real habitual ficou em R$ 2.182,10 em outubro, o que representou recuo de 0,6% perante setembro e de 7% na comparação com outubro de 2014.

 

A massa de rendimento médio real habitual alcançou R$ 49,6 bilhões, valor 1,7% menor que o total observado em setembro e 10,4% mais enxuto que o verificado em outubro do ano passado.

 

A pesquisa abrange as regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife, Salvador e Belo Horizonte.