Dilma cancela viagem ao Japão e ao Vietnã

27/11/2015 17:54

Dilma cancela viagem ao Japão e ao Vietnã marcada para próxima semana

Governo informou que desistência é por conta de votações no Congresso.


Participação de Dilma em conferência sobre o clima, na França, está mantida.

Filipe Matoso e Fabiano Costa

Do G1, em Brasília

 

A presidente Dilma Rousseff cancelou as viagens que faria na semana que vem ao Japão e ao Vietnã, informou nesta sexta-feira (27) a Secretaria de Comunicação da Presidência. No entanto, o governo informou que está mantida a participação da presidente na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 21), na França.

 

Dilma deve embarcar por volta das 23h desta sexta para Paris. A participação da chefe do Executivo na COP-21 está prevista para a próxima segunda-feira (30).

 

No país europeu, ela discursará e apresentará medidas adotadas pelo Brasil para reduzir o desmatamento e a emissão de gases do efeito estufa. Ela também pretende prestar contas no evento ambiental sobre ações do governo federal em resposta ao rompimento da barragem de Mariana, em Minas.

 

Dilma iria ao Japão e ao Vietnã logo após a concluir sua participação na conferência do clima. A explicação do governo para a desistência da viagem à Ásia é que a chefe do Executivo quer acompanhar no Brasil a provável votação no Congresso Nacional das medidas de ajuste fiscal.

 

De acordo com relatos de auxiliares da presidente, Dilma está preocupada com as dificuldades para aprovar no Legislativo o projeto que revisa a meta fiscal de 2015.

 

"A presidenta Dilma Rousseff decidiu cancelar as viagens ao Vietnã e ao Japão porque a partir de 1º de dezembro o governo não pode mais empenhar novas despesas discricionárias, exceto aquelas essenciais ao funcionamento do estado e do interesse público. Não se trata de problema financeiro, mas, sim, orçamentário", informou a Secretaria de Comunicação.

 

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, Dilma apresentaria aos empresários dos dois países asiáticos o Plano de Investimento em Logística (PIL) e buscaria atrair investimentos para a área de infraestrutura do país.

 

Segundo um auxiliar da presidente da República, a decisão foi tomada sob a avaliação de que, com a presidente no Brasil, o governo ganharia força e passaria ao Congresso a imagem de que está preocupado com a aprovação da revisão da meta e do ajuste fiscal.

 

No início da tarde desta sexta, o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, foi avisado pela presidente Dilma de que ela havia decidido cancelar a viagem à Ásia.

 

Segundo assessores palacianos, Dilma comunicou a ele que editaria decreto sobre programação orçamentária e financeira atualizada e com novo contingenciamento do Orçamento.

 

COP 21
A participação de Dilma na COP 21 está prevista para a próxima segunda-feira, 30 de novembro. No país europeu, ela discursará e apresentará medidas adotadas pelo Brasil com o objetivo de reduzir o desmatamento e a missão de gases do efeito estufa. Dilma iria ao Japão e ao Vietnã logo após a participação na conferência.

 

Para a COP 21, o governo brasileiro preparou documento para explicar aos líderes mundiais as ações que têm sido desenvolvidas desde que houve o desastre em Mariana (MG).

 

O rompimento de barragens na cidade mineira resultou na morte de pelo menos 13 pessoas, deixou moradores da cidade desabrigados e resultou em uma lama que atravessou o Rio Doce e chegou ao mar no Espírito Santo.

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!