Dilma diz que respeita opinião de Lula, mas Levy 'fica onde está'

16/11/2015 10:10

Presidente classificou como 'nocivos' os rumores sobre permanência ou não do ministro da Fazenda no cargo

 

Fernando Nakagawa - O Estado de S. Paulo


ANTÁLIA, TURQUIA - A presidente Dilma Rousseff reafirmou nesta segunda-feira, 16, que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, "fica onde está" e classificou os rumores sobre a permanência dele do governo como "nocivos". Ao ser questionada se concordava com as avaliações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que o ministro deveria deixar o cargo, Dilma não escondeu que há diferenças. "Eu não só gosto muito do presidente Lula, como o respeito. Mas não concordamos e não temos de concordar com todas as avaliações."

 

Após a participação na reunião de cúpula das 20 maiores economias do mundo, o G-20, Dilma negou que tenha intenções de retirar Levy do governo. "Eu considero o ministro Levy sobretudo um grande servidor público. Ele tem compromisso com o País, com a estabilidade do País", disse. "Acho extremamente nocivas as especulações quanto ao ministro que me obrigam a, de forma sistemática, reforçar que o ministro fica onde está".

 

Dilma disse aos jornalistas que "não tem de concordar em tudo" com as pessoas que gosta imensamente. "Até porque nós somos adultos, e cada um tem uma forma de encarar a realidade", disse aos jornalistas. Apesar de reconhecer as diferenças, Dilma disse que "no geral, a gente (ela e Lula) concorda" com a maioria dos temas.

 

Com a acusação de que Levy usa um remédio muito amargo para a economia, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é quem estaria liderando a pressão contra o ministro. Lula defende que a solução seria o substituir por Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central, e ainda teria dito em um jantar que Levy teria "prazo de validade".


 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!