Eliane Cantanhêde - Como tragédia ou farsa

15/08/2015 16:12

Eliane Cantanhêde - Como tragédia ou farsa

- O Estado de S. Paulo

 

O momento político atual lembra muito a eleição de 2006, quando o PT sofria o imenso desgaste do mensalão e o então presidente Lula parecia fadado à derrota, mas ambos, partido e presidente, respiraram fundo, reuniram as tropas, resgataram a maior base partidária da história e mergulharam de cabeça num vale-tudo raramente visto. Saíram do inferno, ganharam a eleição com ampla margem de votos e levaram não só a classe média, mas o próprio Lula, ao paraíso.

 

Dizem, plagiando Marx, que a história só se repete como tragédia ou como farsa, mas é exatamente isso que o PT, Lula e agora também a presidente Dilma Rousseff esperam fazer. Fragilizados e tontos pelo petrolão, pela crise política, pela economia e pela sensação de fim de ciclo, eles, mais uma vez, deram todas as chances para a oposição traçar uma estratégia, unificar o discurso, definir horizontes, mas a oposição jogou tudo para o alto.

 

Quando abrirem o olho, os tucanos poderão se ver de volta no tempo, a 2006, com o PT e Lula não apenas recuperados, mas revigorados.

 

Na campanha de Lula contra Geraldo Alckmin, o PSDB achou que o PT estava morto e a vitória estava no papo. Não estavam. O PT recuperou a velha garra e uniu suas bases e seus aliados. O PSDB se dividiu, errou a mão, conviveu com variadas traições e gerou desconfiança para os parceiros e para a população. Resultado: com mensalão ou não, Lula ganhou 11,6 milhões de votos do primeiro para o segundo turno, enquanto Alckmin perdia 2,4 milhões.

 

Hoje, novamente, o PT se reorganiza. Lula deixou de falar mal de Dilma pelos cantos e foi dividir responsabilidades pela sustentação do mandato com quem tem liderança, inclusive com Michel Temer, refém de uma fidelidade compulsória.

 

Renan Calheiros manobra no Senado para segurar a Câmara, José Sarney faz o que pode para manter o PMDB na linha, Temer tenta dar liga ao Senado, à Câmara, ao PMDB e aos demais partidos aliados. E, todos juntos, empurram com a barriga a votação das contas do primeiro mandato de Dilma no TCU. Se fosse hoje, seria um desastre. Daqui a 20 ou 30 dias, poderá não ser tanto.

 

Nesse tempo, Dilma usará suas falas e aparições públicas para massificar a ideia de que impeachment é “golpe”, repisará mil vezes o valor da democracia e lembrará a legitimidade do voto da maioria ontem, esquecendo a rejeição da maioria hoje. Condenará até o “vale-tudo”, por mais irônico, ou indecente, que isso seja. Afinal, Lula ganhou em 2006 metido num macacão cor de abóbora, com a mão suja de petróleo, dizendo que os tucanos iriam vender a Petrobrás e ele iria transformá-la na maior companhia do planeta. Todo o mundo, literalmente, sabe no que deu: a Petrobrás é a empresa mais vilipendiada e endividada do planeta! Mas o que importa para Lula é que ele venceu.

 

E ele não convoca só o “exército” do MST, mas prepara todos os seus exércitos e todo o seu arsenal para uma guerra em que o PT tem estratégia, objetivo, ordem unida e hierarquia contra uma oposição que não conseguiu traçar nenhuma estratégia, fracionou seus objetivos e está tão sem hierarquia quanto sempre esteve. Não será surpresa, portanto, se PT, Lula e Dilma emergirem do fundo do poço, governarem tranquilamente até o fim e ainda chegarem competitivos a 2018.

 

Atenção, porém! Se não será surpresa, essa recuperação também não está escrita nas estrelas. Entre o céu e a terra, entre governo e oposição, há a crise econômica, uma rejeição de mais de 70%, as manifestações de domingo e sabe-se lá quantas Operações Pixuleco. Como diz um experiente líder do País, um fator importantíssimo na política é a imprevisibilidade, o imponderável.

 

PT, Lula, Dilma e governo, mesmo machucados, têm imenso poder e imensa força, mas ninguém pode tudo, o tempo todo, e ainda há muitas batalhas pela frente – como Renato Duque, por exemplo. Independentemente de PT, PSDB e política, a Lava Jato continua, não é mesmo, procurador Rodrigo Janot?

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!