Estava escrito - Ricardo Noblat

03/10/2016 16:55
Estava escrito - Ricardo Noblat
- O Globo
 
• O PT foi superado por nove partidos que elegeram, ontem, mais prefeitos do que ele
 
A culpa da esmagadora derrota do PT é apenas dele. Previsível o discurso com o qual o PT pretende explicar a esmagadora derrota colhida ontem. Como ele poderia ter ganhado depois de submetido ao “bombardeio seletivo de falsas denúncias” promovido nos últimos dois anos pela Lava-Jato? Ele só, não. Nenhum partido em iguais condições alcançaria resultado diferente. O que o PT não dirá jamais é que a culpa pelo que aconteceu é dele e de mais ninguém.
 
FALTARAM MILHÕES de votos para que o PT vencesse. E faltou PT para disputá-los. O partido concorreu às prefeituras com 989 candidatos, quase 44% a menos do que há quatro anos. Sua companhia foi rejeitada por partidos tradicionalmente aliados dele. Em 220 cidades, candidatos do PT concorreram sozinhos. Somente em São Paulo, 36 dos prefeitos eleitos em 2012 abandonaram o partido para tentar se reeleger por outros.
 
O DESEMPENHO do PT nestas eleições foi o pior desde 1996 quando ele venceu em nove das 93 cidades do país com mais de 200 mil eleitores. Hoje, o PT ainda governa 13 dessas cidades. Governava 17 em 2013, mas quatro dos seus prefeitos desertaram. Em 2012, o PT elegeu quatro prefeitos de capitais. Ontem, apenas um, o de Rio Branco, no Acre, que trocou o vermelho do partido pelo laranja e escondeu a estrela.
 
O PARTIDO FICOU de fora do segundo turno em lugares onde sua presença sempre foi marcante. Em Salvador sequer teve candidato próprio, como no Rio. Em Belo Horizonte, a votação do seu candidato foi minúscula. Perdeu em Porto Alegre. E em São Paulo, pela primeira vez desde 1992, não disputará o segundo turno. Sumiu da maior parte do Nordeste e de todo o Centro-Oeste. No total, elegeu menos de 240 prefeitos. 
 
RECIFE FOI UMA das raras cidades onde Lula que lá esteve pode ter feito alguma diferença para o candidato do PT, que irá para o segundo turno. Nas demais, de nada adiantou. Dilma foi ao Rio dizer que a eleição de Jandira Feghali (PCdoB) representaria o início da sua volta. Jandira afundou. Dilma pediu votos para Raul Pont (PT) em Porto Alegre e Alice Portugal (PCdoB) em Salvador. Os dois perderam.
 
GANHARAM GERALDO Alckmin (PSDB), que elegeu Doria em São Paulo, e o presidente Michel Temer (PMDB), que celebra o fortalecimento dos partidos de centro-direita que o apoiam. A eleição de 2018 é logo ali. Para eleger presidente, governadores, renovar a Câmara e parte do Senado, nada melhor do que contar com um grande número de prefeitos e vereadores. Pior para a centro-esquerda. E dentro dela, pior para o PT.
 
O PARTIDO DA estrela apagada corre o sério risco de perder o único nome que daqui a dois anos poderia voltar a iluminá-lo. Nem dentro do próprio PT sobrevive réstia de esperança na sobrevivência política de Lula. Dá-se, ali, de barato que ele será condenado pelo juiz Sérgio Moro por crime de corrupção e outros afins. Se não agravá-la, a Justiça em segunda instância assinará em baixo da sentença de Moro.
 
E ASSIM, SALVO se o Supremo Tribunal Federal recuar de decisão anterior, Lula será preso e ficará inabilitado por oito anos para ocupar qualquer cargo público. Quem imaginaria um fim triste desses para o presidente da República aclamado como o pai dos pobres e reverenciado pela esquerda em todos os continentes? Quanto tempo levará para que a esquerda, aqui, possa outra vez chegar ao poder? 
 
FOI ELA QUE cavou seu próprio buraco. Garfou renda dos brasileiros. Corrompeu e corrompeu-se.
 
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!