FHC: Dilma deve renunciar ou assumir erros

17/08/2015 17:53

FHC: Dilma deve renunciar ou assumir erros

No dia seguinte aos protestos, ex-presidente afirmou nas redes sociais que 'os conchavos de cúpula só aumentam a reação popular negativa'

Por Marcela Mattos, de Brasília

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) recorreu às redes sociais nesta segunda-feira para comentar as manifestações deste domingo contra a presidente Dilma Rousseff, a terceira nos últimos cinco meses. Na avaliação do tucano, persiste o sentimento popular de que o governo, embora legal, "é ilegítimo". "Falta-lhe a base moral, que foi corroída pelas falcatruas do lulopetismo", escreveu FHC.

Com o ex-presidente Lula no centro dos protestos - em Brasília, foi montado um enorme boneco inflável do petista vestindo uniforme presidiário -, FHC disse que a presidente Dilma, ainda que pessoalmente "possa se salvaguardar", "sofre contaminação dos malfeitos de seu patrono e vai perdendo condições de governar".

Em sua página no Facebook, FHC escreveu ainda que "os conchavos de cúpula só aumentam a reação popular negativa e não devolvem legitimidade ao governo, isto é, a aceitação de seu direito de mandar, de conduzir". E faz uma sugestão para Dilma sair das cordas: "Se a própria presidente não for capaz do gesto de grandeza (renúncia ou a voz franca de que errou, e sabe apontar os caminhos da recuperação nacional), assistiremos à desarticulação crescente do governo e do Congresso, a golpes de Lava Jato", disse.

O governo, no entanto, não sinaliza qualquer intenção de admitir os erros, conforme demonstrou nesta segunda-feira em entrevista sobre os protestos.

O ex-presidente encerra dizendo que a desarticulação estará presente "até que algum líder com força moral diga, como o fez Ulysses Guimarães, com a Constituição na mão, ao Collor: 'você pensa que é presidente, mas já não é mais'", disse FHC.

 

Fonte: Site da Revista Veja


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!