Governo do Piauí quer negociar com instituição privada

18/11/2017 10:07
POLÍTICA - OPERAÇÃO DE CRÉDITO
Resultado de imagem para dinheiro torrado
Governo quer negociar a folha de pagamento com instituição privada
 
Pode se endividar, mas não pode pagar - Luciano Coelho - Editor de Política
 
A Assembleia Legislativa do Piauí vota na terça-feira (21) o pedido de empréstimo do Governo do Estado em Instituição Privada sem aval da União. Os deputados de oposição alegam que o governo tem capacidade de endividamento, mas não tem capacidade de pagamento. Em entrevista, o deputado João Madison Nogueira, líder do PMDB na Assembleia afirmou que o governo ainda estuda negociar a administração da folha de pagamento do Estado com uma instituição privada. Atualmente, a folha é gerida pelo Banco do Brasil.
 
O líder da Oposição, Robert Rios (PDT), disse que se a Assembleia aprovar o empréstimo em instituição privada e sem aval, será cumplice do governo que está desviando recurso das operações de crédito das finalidades que foram contraídas. Ele frisou que o governo desviou o dinheiro que seria destinado para obras.
Resultado de imagem para robert rios
Robert Rios - Intelectual - Excelente deputado - defensor do Povo Piauiense - defende a alternância de Poder
 
Segundo Robert, no próximo ano, o governo vai começar a pagar os juros dos empréstimos que já foram contraídos, porque acabou a carência que era de três anos. "O que o governo vai pagar de juros é maior que o Orçamento da Segurança Pública. Se não tinha dinheiro para pagar a folha agora, imagina quando começar a pagar o empréstimo? Não estamos discutindo capacidade de endividamento, mas a capacidade de pagamento, que o Estado não tem nenhuma" assinalou. 
 
O deputado João Madison é o relator do pedido de empréstimo e disse que o governo precisa deste dinheiro, já que a Caixa não liberou R$ 315 milhões autorizado pelo legislativo e que o governo do Piauí preenchia todos os critérios e requisitos.
 
"Está tudo OK, mas não libera. Então, vamos aprovar as condições para o Estado fazer com os Bancos privados. O banco privado tem uma carência maior. Dá outras condições para que os estados possam fazer. Oito estados já fizeram", argumentou João Madison, dizendo que os juros são de 1,5 %, mas podem cair para 1%.
 
"Estamos numa crise e todo estado recorreu aos empréstimos com bancos públicos. Quem não conseguiu entrou na Justiça e a Caixa foi obrigada a liberar", finalizou João Madison, revelando ainda que o Bradesco pode gerenciar a conta dos servidores do Estado do Piauí.
 
 
Fonte: Jornal Impresso - Diário do Povo do Piauí
Edição do Final de Semana - 18 e 19 de novembro de 2017
 
 
FAÇA UMA ASSINATURA DO JORNAL DIÁRIO DO POVO !
O Jornal que respeita a inteligência do Povo Piauiense.
 
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!