João Henrique de Almeida Sousa em destaque

19/11/2017 20:54
Temer decide trocas na Esplanada e Imbassahy pode ficar com Direitos Humanos
Temer bateu o martelo sobre mudanças na Esplanada dos Ministérios neste final de semana - AFP
Temer bateu o martelo sobre mudanças na Esplanada dos Ministérios neste final de semana - AFP
 
Jornal Cruzeiro do Sul - Sorocaba e Região
 
O presidente Michel Temer bateu o martelo neste fim de semana sobre mudanças em sua Esplanada dos Ministérios e pode deslocar o tucano Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) para a pasta de Direitos Humanos. Em conversas com aliados nos últimos dias, o presidente decidiu nomear o deputado federal Alexandre Baldy (GO) para o Ministério das Cidades, no lugar de Bruno Araújo (PSDB), que pediu demissão na semana passada. 
  
O nome de Baldy tem a chancela do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que se reuniu com Temer para tratar do assunto. Filiado ao Podemos, Baldy decidiu sair do partido em agosto quando foi destituído da liderança da sigla na Câmara e agora deve entrar para o PP. O partido, que compõe o centrão, reivindica mais espaço no governo em troca de votos para aprovar a reforma da Previdência. Outra mudança ministerial que está praticamente acertada é a Secretaria de Governo, hoje ocupada por Imbassahy. 
  
Como informou o "Painel", o ex-ministro de Transportes João Henrique de Almeida Sousa, hoje na presidência do Conselho Nacional do Sesi, ganhou força para ocupar o posto de articulador político do Planalto. Os defensores de João Henrique afirmam que ele já foi deputado, quarto secretário da Câmara e, portanto, tem bom trânsito com os deputados. Segundo a reportagem apurou, Temer simpatiza com a ideia mas está fazendo um cálculo eleitoral, além de contar com os votos para Previdência, antes de fechar a indicação. 
  
Auxiliares dizem que o presidente se movimenta na direção de montar uma coligação político-eleitoral para 2018 e, portanto, é importante que as novas nomeações tenham o aval de partidos que podem formar essa aliança. Temer não é candidato à reeleição, mas quer se tornar um ativo importante em torno de uma candidatura de centro-direita que defenda as reformas de seu governo. As primeiras mudanças ministeriais devem ser anunciadas no início desta semana e serão restritas às pastas ocupadas pelo PSDB. Dessa forma, com o Ministério das Cidades e a Secretaria de Governo com novos titulares, Temer exoneraria Luislinda Valois, tucana que hoje está na Secretaria de Direitos Humanos, entregando a pasta a Imabssahy. O acerto com Imbassahy, porém, ainda não foi fechado. O ministro de Relações Exteriores, Aloysio Nunes (PSDB), deve permanecer no cargo. (FOLHAPRESS)
 
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!