Juiz Sérgio Moro cobra Temer para trabalhar com STF

06/12/2017 06:57
Moro cobra Temer para trabalhar com STF para manter prisão de condenados em 2ª instância
Moro sobre possível revisão da prisão de condenados em 2ª instância: 'Grave retrocesso'
Por Fabio Mazzitelli - R7
 
Escolhido o "Brasileiro do Ano" na premiação da Revista IstoÉ, na noite desta terça-feira (5), o juiz federal Sérgio Moro pediu publicamente ao presidente Michel Temer (PMDB), durante a cerimônia, que trabalhasse institucionalmente junto ao STF (Supremo Tribunal Federal) para manter a prisão de condenados em segunda instância.
 
Para Moro, se o Supremo fizer a revisão desta diretriz será um "retrocesso", pois antes dela "muitas vezes processos envolvendo crimes complexos contra pessoas poderosas nunca chegavam ao fim", com a possibilidade de inúmeros recursos antes de a prisão ser efetivada.
"Se houver a mudança, de fato, isto seria um grave retrocesso", disse. “Tomando a liberdade senhor presidente, que utilize o seu poder, respeitando evidentemente a independência do Supremo Tribunal Federal, para influenciá-lo de forma a não alterar este precedente. O governo federal tem um grande poder, uma grande influência e pode utilizar isso. Pode-se trabalhar junto ao Supremo Tribunal Federal para que não altere este precedente", completou.
Temer e Moro separados por cadeira vazia no prêmio
Em seu discurso, Moro defendeu o legado do ministro do STF Teori Zavascki, morto em um acidente aéreo no início do ano, e pediu licença para sugerir uma serie de políticas públicas para combater a corrupção sistêmica.
 
Temer, que discursou na sequência, calou-se sobre o tema e fez um discurso protocolar, cumprimentando os premiados da noite.
 
Antes do discurso de Moro, o presidente Michel Temer, o presidente do Senado, Eunicio Oliveira (PMDB), e os ministros Henrique Meirelles e Moreira Franco aplaudiram o magistrado de forma comedida: todos estes ficaram sentados no momento em que a plateia e os outros convidados bateram palmas ao juiz federal de pé.
 
Polícia Federal
 
Moro cobrou também investimentos na Polícia Federal. De acordo com o magistrado, "é preciso fortalecer a Polícia Federal com investimentos, recursos, não só financeiros, mas também com recursos humanos".
 
"Pedindo vênia ao ministro Henrique Meirelles, que faz um magnífico trabalho na economia e todo esforço de ajuste fiscal, mas me parece que alguns investimentos são necessários para o refortalecimento da Polícia Federal", cobrou Moro.
Após discurso de Moro, Michel Temer (foto) se calou sobre prisão em 2ª instância
O juiz afirmou ainda que "o investimento na atuação do Estado contra a corrupção traz seus frutos", anunciando que na próxima quinta-feira (7) será realizada uma cerimônia em Curitiba para marcar a devolução de mais de R$ 600 milhões aos cofres da Petrobras, resultado do combate à corrupção. "Então investir no combate à corrupção é algo que leva à economia."
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!