Maioria acredita que empreiteiras beneficiaram Lula, segundo Datafolha

28/02/2016 10:37

Fernando Canzian – Folha de S. Paulo

SÃO PAULO - Pesquisa Datafolha revela que, para a maioria dos brasileiros, houve um "toma lá, da cá" na relação entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e empresas envolvidas na Operação Lava Jato. O petista teria ganho favores pessoais e as empresas, ajuda em governos do PT.

 

Segundo o levantamento, a maior parte dos entrevistados avalia que o ex-presidente foi beneficiado diretamente por obras realizadas em dois imóveis supostamente ligados ao petista e a sua família.

 

Entre os que acreditam que Lula obteve vantagens por reformas em um sítio em Atibaia, no interior de São Paulo, e em um apartamento triplex em Guarujá, no litoral paulista, a maioria também acha que as empresas supostamente responsáveis pelas obras foram beneficiadas por governos do PT.

 

De acordo com o Datafolha, independente do grau de conhecimento sobre o assunto, 62% avaliam que Lula foi beneficiado pelas obras no tríplex, a cargo da empreiteira OAS. Entre eles, 58% acham que a construtora recebeu vantagens do PT.

 

No caso do sítio em Atibaia, 58% acreditam que o presidente tenha sido beneficiado pelas obras na propriedade, sendo que, para 55%, os responsáveis pelas reformas também receberam vantagens de governos do PT.

 

Em relação ao sítio, testemunhas ouvidas pela Folha e investigações oficiais indicam que uma espécie de consórcio informal de empresas bancou as obras. Entre elas estariam a Odebrecht, a OAS e o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente.

 

Mesmo entre os simpatizantes do PT, cerca de um terço dos entrevistados acredita que Lula foi beneficiado tanto no caso do sítio quanto no do tríplex.

 

Segundo o Datafolha, 69% dos brasileiros tomaram conhecimento das denúncias envolvendo a reforma do sítio. No caso do tríplex, 77% estão informados.

 

Nos dois casos, quanto mais escolarizado e rico, maior o percentual de entrevistados que consideram ter havido o "toma lá, dá cá" entre as empreiteiras, Lula e governos petistas.

 

A pesquisa foi realizada entre os dias 24 e 25 de fevereiro. Foram feitas 2.768 entrevistas em 171 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

 

No caso do sítio em Atibaia, na última semana a Odebrecht admitiu ter ligação com as obras na propriedade. Na sexta (26), a defesa de Lula afirmou que a reforma do sítio foi oferecida por Bumlai. O advogado do pecuarista, preso na Lava Jato, nega a versão.

 

Sobre o tríplex, Lula justifica que comprou uma cota da cooperativa Bancoop que dava direito a uma unidade no condomínio, mas que desistiu de comprar o imóvel. Hoje o tríplex está em nome da OAS e foi reformado pela empreiteira.

 

Melhor presidente

Lula, porém, segue sendo o mais citado espontaneamente na consulta sobre o melhor presidente que o Brasil já teve, embora seu percentual tenha oscilado negativamente entre novembro de 2015 (39%) e hoje (37%). O segundo mais mencionado pelos brasileiros foi Fernando Henrique Cardoso (PSDB), indicado por 15% (em novembro, ele tinha 16%).

 

Em entrevista à Folha, a jornalista Mirian Dutra, que foi amante do tucano, disse que o ex-presidente custeou parte de despesas dela e do filho no exterior, por meio da Brasif, empresa que administrava free shops em aeroportos. A Polícia Federal abriu na sexta (26) inquérito para apurar se houve crime de evasão de divisas.