Manifestantes entram em confronto com a polícia

29/11/2015 17:30

COP21: Manifestantes entram em confronto com a polícia em Paris

Jornal do Brasil

 

Como em outras cidades do mundo, os franceses também saíram às ruas neste domingo (29/11) para pedir um acordo que reduza as emissões de gás carbônico, que causa o efeito estufa e altera as condições climáticas no planeta.

O protesto foi realizado apesar da proibição de manifestações depois dos atentados do dia 13 de novembro.

As forças de segurança francesas usaram gás lacrimogêneo para conter os manifestantes, muitos deles mascarados, e que lançavam sapatos e garrafas nos agentes. Segundo o responsável pela Polícia da capital, Michel Cadot,  cerca de 100 pessoas foram presas nos confrontos.

 

"São pequenos grupos violentos que enfrentaram as forças da ordem com projéteis", como "velas e até uma bola de bocha", relatou o chefe de Polícia, acrescentando que não há informações de feridos.

Os manifestantes se reuniram perto da Praça da República, convocados por pequenos grupos "AntiCop21", contrários à conferência do clima da ONU em Paris.

Aos gritos de "Ouçam nossas vozes! Estamos aqui!" e "Estado de emergência, Estado policial, não vão tirar nosso direito de manifestação", os ativistas "AntiCOP21" seguiram para a Praça da República, centro da capital.

 

Protestos estão sendo realizados neste domingo em diversas cidades ao redor do mundo, como Madri, Atenas, Berlim e Bruxelas.

Manifestantes querem a aprovação do acordo que, acreditam, irá garantir um futuro mais justo e sustentável.

Nesta segunda-feira (30/11) 147 chefes de estado e de governo, incluindo os presidentes dos Estados Unidos, China, Rússia e Brasil, participarão da abertura oficial da Conferência sobre o Clima (COP21), que buscará durante 10 dias alcançar um acordo mundial para reduzir as emissões poluentes que provocam o aquecimento do planeta.

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!