Marden Menezes lamenta a situação econômica do país

05/08/2015 16:01

O deputado Marden Menezes (PSDB), em discurso hoje (05) na Assembleia Legislativa, falou da sua preocupação com a situação econômica do país e da grave crise que, segundo ele, atinge principalmente os mais explorados nas mídias estatais: brasileiros de baixa renda.

Marden lamentou a postura da liderança do Governo do Estado que insiste em afirmar que o aperto econômico é um discurso da oposição e da mídia. “Tenho acompanhado os debates e lamento o governo fingir que não está acontecendo nada. Hoje, quem possui uma moto não tem como colocar gasolina, os tributos a cada dia aumentam; o salário que antes era vitrine, hoje foi corroído e encolhido pela inflação. Está insustentável a condição da economia”, destacou.

Durante o discurso o parlamentar cobrou da base do governo resultados concretos das viagens do governador Wellington Dias para o exterior, bem como medidas que enxuguem a máquina pública e que atendam os interesses da população. Segundo Marden, ao invés do governo cortar gastos e investir na Segurança Pública, Saúde e Educação, o Governo permanece com vinte e quatro secretarias e nomeando comissionados.

“Não tenho nada contra as viagens para o exterior desde que tenham objetivos claros e tragam resultados concretos. Desafio de público a base do governo a trazer resultados concretos oriundos destas viagens”, disse.

O parlamentar analisa o Programa de Aceleramento do Crescimento (PAC) como um marketing eleitoral e aponta a paralisação do programa e de obras estruturantes no Piauí. “O PAC não existe, é jogada de marketing, a Dilma era a mãe do PAC. Hoje está tudo paralisado, porto de Luiz Correia, estradas para escoamento de grãos, obras estruturantes”, afirmou. Quanto ao impeachment da presidenta Dilma Roussef, Marden Menezes afirma que é uma consequência dos atos do governo e reflexo da rejeição de 72% da população.

No encerramento do discurso Marden afirmou que o PSDB decidiu apoiar qualquer manifestação que venha da sociedade civil brasileira e conclamou a sociedade para participar, dia 16, do Movimento Vem Pra Rua. “Antes da filiação partidária tenho o compromisso com meu país, como cidadão temos o dever de participar das manifestações e pedir o aprofundamento das investigações e a responsabilização dos envolvidos. Se o governo não quisesse passar por isso, não teria vilipendiado o erário público”, frisou.

 

Com informações de Isolda Monteiro - Edição: Caio Bruno - acesse diariamente o site da Alepi: www.alepi.pi.gov.br


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!