Marta diz que vota favorável ao impeachment

22/01/2016 15:42

'Economia esfarelando'

 

Marta diz que vota favorável ao impeachment de Dilma

 

Senadora acredita que já há todos os elementos para Dilma cair

 

Da Redação do Diário do Poder

 

Marta diz que impeachment não é golpe e que foi regulamentado pelo STF (Foto: EBC)

 

A senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) falou, na manhã desta sexta-feira (22), sobre suas propostas para a cidade de São Paulo e como ela se sente fazendo parte de um partido com diversas pessoas polêmicas e sendo investigadas em processos, como o da Lava Jato. A senadora participou de um programa na rádio Jovem Pan.

"Não tem nenhum partido que tenha unanimidade em suas propostas e convicções. Muda de posição toda hora (sobre o impeachment). A política é assim, movedissa o tempo todo. O que posso dizer é sobre mim. Eles estão sendo investigados e eu não tenho nada com isso... Graças a Deus! Acho que não tem nenhum partido que não tenha pessoas que não estejam sendo investigadas. Me diz um partido? Quando você escolhe um partido precisa ver um que você possa atuar a favor do seu Estado. No Congresso Nacional onde posso fazer isso é no meu PMDB. Achei que fiz uma boa escolha, estou satisfeita, fui bem recebida", justificou Marta.

 

Ao ser questionada se é favorável ou não ao impeachment, a pré candidata afirmou que sim e disse que já há todas as premissas favoráveis para que Dilma Rousseff saia do Governo. "Primeiro queria dizer que impeachment não é golpe. Foi regulamentado pelo Supremo. E segundo porque o Governo é um desastre, economia esfarelando, e sabemos que ela usou um orçamento que não poderia usar sem passar pelo Congresso, isso é um crime fiscal. E para impeachment, além disso, tem que ter algo que já tem, que é 80% da população que não acredita mais nela. Meu voto vai ser favorável."

 

Joseval Peixoto aproveitou o assunto sobre escândalos no Governo e perguntou para Marta se alguma vez, quando estava no PT, já chegou alguém oferecendo alguma benéfice, rolo na Prefeitura para ela. Marta respondeu "nunca!", mas, os apresentadores do Jornal da Manhã acharam que a expressão facial da pré candidata mostrou o contrário...

 

Sobre as eleições 2016, Marta disse que não acredita em um opositor em específico sendo maior que os outros e também não se vê como favorita. "Mas eu estou bem aparelhada. Eu sei o que posso ser e fazer."

 

Sobre as campanhas políticas, Marta confessou que o PMDB ainda não sabe ao certo como proceder... "Tudo mudou, não sabemos como fazer, mas estamos pensando, testando... A forma que tem que ser, na minha avaliação, é 'pé na lama'. E isso é comigo! Estou indo na perfiferia e o povo lembra o que eu fiz então o povo vem. Então estou bem!"

 

Entre algumas das ideias que Marta falou na Jovem Pan para melhorar a cidade de São Paulo, estão a avaliação das ciclofaixas e diálogo com a população antes de fazer mudanças. A pré candidata do PMDB vê a atual gestão da Prefeitura omissa nesse sentido, além de não ter planejamento algum. “Vivemos em São Paulo um governo de exclusão, ninguém participa de nada. Você sai de casa e tem uma ciclotinta na frente de casa. Não é perguntado nada”, disse Marta, que ainda afirmou que só vai manter as ciclovias e ciclofaixas após análises técnicas de cada caso.

 

A Deputada Mara Gabrilli ligou na Jovem Pan e quis fazer uma pergunta para Marta Suplicy sobre a reforma das calçadas..."É um grande desafio, é uma Lei importante. Em uma cidade do tamanho de São Paulo é difícil. Eu já tropecei várias vezes e fiquei revoltada! Isso é um problema tão sério mas é tão caro, por isso acho que a Prefeitura tem que ter isso como desafio. E eu vou ter, vou me empenhar", prometeu Marta.

 

Fonte: Diário do Poder