Misericórdia nas relações cotidianas clama o Papa

22/12/2015 16:32

Papa aos funcionários: "Misericórdia nas relações cotidianas"

Cidade do Vaticano (RV) - “O Natal está chegando e é uma bela ocasião para nos reencontrarmos”. Com estas palavras, o Papa Francisco deu as boas-vindas, na Sala Paulo VI, aos funcionários da Santa Sé (inclusive da RV), acompanhados por nossos familiares. Este é o segundo ano desta nova tradição, em que o Papa nos convida, a todos, para trocarmos votos natalinos.

Inicialmente, Francisco agradeceu por nosso trabalho e esforço para fazer sempre as coisas bem, mesmo quando não são reconhecidas. De modo especial, se referiu aos funcionários que realizam há muitos anos o mesmo tipo de trabalho, “quase sempre um gênero de atividade de bastidores”, fazendo-as sempre como se deve.

Depois de encorajar a prosseguirmos em nossos âmbitos, colaborando juntos, com paciência e ajudando-nos reciprocamente, o Pontífice pediu perdão pelos escândalos que ocorrem no Vaticano.

Misericórdia com quem errou

 

Gostaria que a minha atitude e a de vocês, sobretudo nestes dias, seja antes de tudo a de rezar pelos pessoas implicadas, para que quem errou se arrependa e possa encontrar o caminho certo”.

Animando-nos a zelar por nossos maridos, esposas e filhos, o Papa afirmou que o matrimônio é como uma planta, um planta que está viva e que precisamos cuidar todos os dias. Igualmente, a vida de um casal jamais deve ser dada por ‘óbvia’, em nenhuma fase... e convidou a recordar que o dom mais precioso para os filhos não são as coisas, mas o amor dos pais, o amor entre eles em sua relação conjugal – o que faz bem tanto a eles mesmos como a seus filhos.

Jubileu é todo dia

 

Antes de despedir-se, o Papa Francisco convidou a termos a misericórdia como meta nas relações entre os cônjuges, entre os pais e os filhos e entre os filhos e os irmãos, sem descuidarmos dos avós. Porque como explicou, é preciso viver o Jubileu na Igreja doméstica e não só nos grandes eventos, tendo em conta que o Senhor ama quem põe em prática a misericórdia nas circunstâncias comuns.

Concluindo, disse que seu desejo é que experimentemos a alegria da misericórdia, começando por nossas famílias, e pediu que a levássemos a todos os nossos parentes, amigos, idosos e enfermos.

Continuem rezando por mim, obrigado e Feliz Natal!”.

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!