Movimentos sociais farão ato de desagravo a Lula em SP

12/02/2016 07:27

Manifestação será na quarta- feira, quando ex- presidente irá depor sobre tríplex

 

- O Globo

 

- SÃO PAULO- Movimentos sociais preparam um ato de desagravo na próxima quarta-feira, na porta do Fórum da Barra Funda, em São Paulo, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve prestar depoimento, como investigado, no inquérito que apura a compra do apartamento tríplex no Guarujá. O Ministério Público investiga crime de ocultação de patrimônio no caso do imóvel que foi reservado por Lula e dona Marisa, que também será ouvida, assim como o empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, e o engenheiro Igor Pontes, que acompanhou Lula durante visita ao apartamento.

 

O ato, marcado para as 10h, é liderado pela Frente Brasil Popular em São Paulo, que reúne mais de 60 entidades. Um grito de guerra já foi criado: “Lula é meu amigo. Mexeu com ele, mexeu comigo”.

 

Em nota, a Frente Brasil Popular diz que “repudia a forma seletiva como vêm sendo conduzidas as investigações da Operação Lava- Jato” e ainda que “o ex- presidente representa a história de luta dos movimentos social e sindical e dos partidos políticos de esquerda”. “Todos nos sentimos atingidos com os constantes ataques feitos a Lula”, cita a entidade.

 

O imóvel do Guarujá, avaliado entre R$ 1,8 milhão e R$ 2,5 milhões, está em nome da construtora OAS. Lula nega ser dono do apartamento e diz que havia só uma opção de compra em nome de Marisa Letícia, que não chegou a ser exercida.

 

Ocultação de propriedade

O depoimento do ex-presidente foi marcado a pedido do promotor Cássio Conserino, que diz haver indícios de que houve tentativa de esconder a real identidade do proprietário do apartamento, o que configuraria crime de lavagem de dinheiro.

 

Lula também vai depor na Operação Lava- Jato no próximo dia 14 de março. O ex- presidente foi arrolado como testemunha de defesa pelo pecuarista José Carlos Bumlai, que admitiu ter fraudado um empréstimo de R$ 12 milhões feito no Banco Schahin para abastecer os cofres do PT.

 

É a primeira vez que Lula falará diretamente ao juiz Sérgio Moro, que conduz os processos da Lava- Jato. O ex-presidente não precisará ir a Curitiba. Moro autorizou seu depoimento por videoconferência.

 

Em depoimento à Polícia Federal, Bumlai isentou o ex-presidente de qualquer negócio relativo à Petrobras. O pecuarista afirmou que, apesar de se considerar amigo pessoal de Lula, nunca levou a ele questões comerciais.

 

Em dezembro, durante o interrogatório, os investigadores perguntaram se Bumlai está “tentando proteger figuras públicas de responsabilidade no episódio ( do empréstimo), tais como o ex- presidente da República e outros dirigentes do Partido dos Trabalhadores, tais como seu presidente a época José Genoino”. O pecuarista respondeu que “não está tentando proteger ninguém”.

 

Isca perfeita”

Na defesa prévia de Bumlai, os advogados afirmam que o pecuarista tem aparecido nas manchetes sobre o esquema de corrupção na Petrobras como se fosse “a isca perfeita para fisgar o peixe”. Ou “o molusco cefalópode”, como escreveu na peça de defesa o escritório do advogado Arnaldo Malheiros, fazendo uma referência ao ex-presidente Lula.

 

Além de Lula, o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli foi arrolado como testemunha de defesa do pecuarista. O depoimento de Gabrielli ainda não tem data.


 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!