Nova denúncia acusa Odebrecht de pagar R$ 138 mi em propina

17/10/2015 09:19

Nova denúncia acusa Odebrecht de pagar R$ 138 mi em propina

SÃO PAULO, CURITIBA - No mesmo dia em que o ex-diretor da Odebrecht Alexandrino Alencar deixou a prisão por decisão do Supremo Tribunal Federal, os procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato apresentaram duas novas acusações de corrupção contra o presidente do grupo, Marcelo Odebrecht, e três executivos da empresa.

 

Eles são acusados de pagar propinas no total de R$ 138 milhões em oito obras da Petrobras, como a terraplenagem das refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, e o Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro).

 

Os ex-diretores da Petrobras Paulo Roberto Costa, Renato Duque e Pedro Barusco também foram acusados pelo recebimento de suborno relativo a essas obras.

Noutra denúncia, os procuradores pedem a manutenção da prisão preventiva de Marcelo Odebrecht com o argumento de que ele já demonstrou a intenção de prejudicar as investigações.

 

Marcelo e três executivos (Márcio Faria, Rogério Araújo e Cesar Ramos Rocha) estão presos desde 19 de junho.

 

A força-tarefa diz que os executivos também indicaram que têm planos para eliminar provas que possam prejudicá-los e até fugir do país.

 

O plano para eliminar informações, segundo os procuradores, foi encontrado em anotações feitas no bloco de notas do celular de Marcelo. Uma anotação dizia "higienizar apetrechos MF e RA", uma possível referência a Márcio Faria e Rogério Araújo.

 

O suposto plano de fuga, segunda a acusação, aparece na expressão "tática Noboa", que foi interpretada como uma referência a Gustavo Noboa, presidente do Equador que fugiu do país ao ter a sua prisão decretada por suspeitas de corrupção na negociação da dívida externa.

 

Outro lado

A Odebrecht disse que não iria se manifestar porque não teve acesso à denúncia.


 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!