O que une Dilma a Eduardo Cunha - Blog do Noblat

20/11/2015 23:43

O que une Dilma a Eduardo Cunha

Por Ricardo Noblat

Dilma diz que só tem um plano para equilibrar as contas públicas: a aprovação, pelo Congresso, da CPMF, o imposto do cheque.

Eduardo Cunha não diz, mas só tem um plano para tentar sobreviver: apostar em um milagre.

Por ora, não há sinal de que um milagre seja possível. Tudo o que Eduardo fez até agora só agravou sua situação.

Havia um limite não escrito para o uso de manobras a seu favor com base no regimento interno da Câmara dos Deputados.

Eduardo ultrapassou o limite ao impedir que o Conselho de Ética se reunisse para decidir sobre o processo de cassação do seu mandato.

Nenhuma comissão ou organismo da Câmara pode funcionar se os deputados forem convocados para uma sessão plenária.

Eduardo convocou-os na mesma hora em que o Conselho de Ética estaria reunido.

Ele é acusado de mentir aos seus pares ao negar que tivesse contas bancárias no exterior. Tinha cinco, pelo menos.

Agora passou também à condição de tê-los impedido de deliberar. Se isso não configura quebra de decoro, tudo se torna possível.

A manobra permitiu a Eduardo ganhar tempo. A eventual cassação do seu mandato ficará para março ou abril do próximo ano.

Até lá, ele espera encontrar a saída que lhe cause menos danos. Porque não haverá saída indolor.

Aliados de Eduardo negociavam com o governo a renúncia dele à presidência da Câmara em troca da preservação do seu mandato.

Dificilmente, isso será capaz de prosperar depois do ato moleque de sabotagem contra o Conselho de Ética.

Cresce na Câmara a indignação com o comportamento do seu presidente

Duas vezes denunciado pelo Procurador Geral da República ao Supremo Tribunal Federal, em breve ele o será pela terceira vez.

Dilma e Eduardo são, hoje, obstáculos para a solução das crises que travam a recuperação do país.

Eduardo é candidato a bola da vez.