Odebrecht: Lava-Jato é cruel

31/10/2015 09:54

Preso desde junho, Marcelo Odebrecht fez defesa por escrito e atacou a Lava-Jato

 

Perguntas sem respostas

 

Em depoimento, Marcelo Odebrecht não explica mais de mil movimentações financeiras no exterior

 

Renato Onofre, Cleide Carvalho e Tiago Dantas - O Globo


-SÃO PAULO- Em seu primeiro interrogatório à Justiça Federal, o presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, se recusou ontem a responder perguntas do juiz Sérgio Moro, alegando que queria “evitar ser mal interpretado”. Preso desde 19 de junho, Marcelo reclamou da ação contra ele, disse que a Lava-Jato distorceu fatos e agiu de forma “cruel” e, para se defender, entregou ao juiz um texto de 19 páginas, uma espécie de autointerrogatório, com 60 perguntas e respostas elaboradas por ele próprio e seus defensores.

 

Moro pediu explicações sobre as contas no exterior que teriam sido usadas pela construtora para o pagamento de propina a dirigentes da Petrobras. O empresário se negou a responder e disse que estava tudo explicado no documento. No autointerrogatório, porém, Marcelo não explicou as mais de mil movimentações financeiras de empresas offshore ligadas à Odebrecht, que teriam sido usadas para lavar recursos desviados da Petrobras. Todas foram mapeadas pelo Ministério Público suíço. O destino do dinheiro, quase sempre, eram contas controladas por ex-diretores da Petrobras. Marcelo limitouse a dizer que não tinha conhecimento.


Iniciativa ilegal e cruel”

No documento, o empriteiro acusou a força-tarefa da Operação Lava-Jato de distorcer fatos para prendê-lo, criticou a publicidade e a interpretação dada a anotações e e-mails escritos por ele, e pediu a revogação de sua prisão. O executivo afirmou no texto, mais de uma vez, que não se envolve diretamente na área de negócio de nenhuma das 300 empresas da holding e que, como presidente do conselho de administração da empresa, tinha função apenas de “convocar e coordenar reuniões como um representante dos acionistas”.

 

Há mais de quinze anos não assino nem mesmo um cheque em nome das empresas da organização, tampouco ordeno ou controlo operações financeiras”, disse. As declarações vão contra o material apreendido pela PF durante as investigações, que mostram uma forte influência de Marcelo nos negócios da empresa.

 

Em outro trecho, Marcelo escreveu: “Fica evidente a distorção dos fatos com o objetivo malicioso de atribuir a mim uma intenção de fuga completamente infundada. Trata-se de uma iniciativa não apenas ilegal, como cruel, apenas para me sujeitar a pedido de prisão preventiva”.

 

O procurador da República Antonio Carlos Welter chegou a pedir ao empresário que abra mão de uma ação da Odebrecht na Justiça suíça para impedir o acesso dos investigadores brasileiros a informações das contas, em nome da “disposição dele em colaborar com a Justiça”. Marcelo negou:

 

Não me cabe responder pela construtora.

 

Marcelo reclamou da interpretação dada pelos investigadores a anotações e emails encontrados em seu computador e celular. Disse que houve equívoco. Para a PF, as mensagens mostram que ele sabia sobre o esquema de propina. Ele tentou explicar orientações supostamente dadas a funcionários assim que os primeiros indícios de corrupção vieram a público: “Higienizar apetrechos MF e RA”. MF e RA, para a PF, seriam Márcio Faria e Rogério Araújo e higienizar seria apagar provas. Marcelo contestou:

 

Foi feito um lembrete sobre a necessidade de discutir se Márcio Faria e Rogério Araújo estavam sendo alvos de grampos ilegais e se seria o caso de fazer varredura, o que também acabou não acontecendo (...). A maior prova de que nunca cogitei apagar nada é que minhas próprias notas e mensagens foram integralmente apreendidas em meu próprio celular”.

 

Rogério Araújo e Márcio Faria também depuseram ontem e negaram a existência de contas na Suíça e o pagamento de propina. Em nota, a defesa de Odebrecht diz que “Marcelo refutou com firmeza as acusações que são feitas a ele na peça acusatória”. E que a empresa continua “confiante não só na sua absolvição neste processo penal, como na revogação da prisão”.

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!