Opinião: Tudo tem o seu limite?

09/06/2016 12:48
Por Josenildo Melo 
O que é o limite? Essa pergunta remete ao caráter filosófico de questões. Jesus Cristo ficou conhecido por escrever em parábolas. Qual então o limite da atualidade? Bom senso faz bem em qualquer situação analisada. O que diferencia os seres humanos dos animais não é a razão? Racionalmente é possível destituir tudo e recomeçar? Tudo não teria o seu limite analítico?
 
O Brasil adentra agora em um terreno extramente perigoso. Não seria ingenuidade imaginar que homens que atuam a mais de 50 anos no mundo político aceitariam algo de forma meramente tranquila? Em quem confia o todo poderoso? E o limite dos poderes? E a independência dos poderes objeto de inúmeros estudos jurídicos e filosóficos? O momento não somente é delicado mas de fato muito perigoso. E o que realmente pode acontecer? A emoção superou em fim a razão?
 
Antes que os céticos indaguem; indagamos: e em outros países não é sempre assim? Olha, olha questão cultural se rompe de uma hora pra outra? A quebra, a ruptura de paradigmas passou a ser algo meramente normal? A questão é: tudo tem ou não limite? O limite prudencial é sensatez; o limite prudencial é a percepção de que em nome de uma suposta moralidade teria um ser capaz de quebrar todos os paradigmas já estabelecidos? Quem é o todo poderoso que se incumbirá desta  tarefa? Ele continuará blindado somente pela opinião pública? Teria a coragem suficiente pra isso?
 
O que é o limite? Na matemática, o limite tem o objetivo de determinar o comportamento de uma função à medida que ela se aproxima de alguns valores. E aí? Se até mesmo as ciências exatas possuem limites; não teria limites o aspecto filosófico jurídico de ações exacerbadas? Brasília desde ontem respira um silêncio assustador. Na antiguidade Grega somente era considerado sábio alguém depois dos 60. Vocês acreditam que homens vividos e protegidos institucionalmente não reagirão? Tudo tem o seu limite segundo a lógica do bom senso racional. E o que está acontecendo então?
 
O que está acontecendo todos nas entrelinhas sabem. O problema não seria o que está por acontecer? A República Federativa do Brasil começa adentrar agora a um terreno extremamente perigoso e remoto. O que é a razão? Razão, no sentido geral, é a faculdade de conhecimento intelectual próprio do ser humano, é um entendimento, em oposição à emoção. É a capacidade do pensamento dedutivo, realizado por meio de argumentos e de abstrações. É a faculdade de raciocinar, de ascender às ideias. A palavra razão tem origem na palavra latina, “ratio” e na palavra grega “logos”, que significam reunir, juntar, medir, calcular, portanto, razão significa pensar, falar ordenadamente, com medida, com clareza e de modo compreensível.
 
Tudo tem o seu limite? Racionalmente tem. Apego excessivo ao poder ocasiona desequilíbrios? Tudo indica que não somente ocasiona mas sobretudo faz perder a noção da realidade e a sensatez perante fatos e acontecimentos. O equilíbrio entre poderes é necessário! Em Brasília os ares passam a respirar e conspirar extremidades. Alguém verdadeiramente de juízo de valor precisa ter a percepção de que tudo tem o seu limite. O momento é mais que perigoso!! Os homens mais do que meras pessoas físicas deixarão tudo acontecer de forma tranquila e serena??
 
Juízo de valor não tem limites; ponderar não tem limites; a razão deve ser o equilíbrio. A República Federativa do Brasil segue bem com a Ordem e o Progresso; não pode agora os sem juízos de valor quererem simplesmente impor vntades pessoais. 12 milhões de desempregados esperam ansiosamente por dias melhores e eles virão com toda a certeza. O país não quer ideologias mas sim resultados na economia diz muito bem o Presidente Michel Temer. O bom senso prevalecerá!
 
Apoio:
 
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!