Oposição negocia com Cunha Impeachment

13/10/2015 22:10

Oposição negocia com Cunha pedido de impeachment

Após reunião, líderes decidem apresentar novo pedido de afastamento de Dilma


POR MARIA LIMA E ANDRÉ COELHO - O Globo

BRASÍLIA — Apenas três dias depois de soltarem uma curta nota defendendo que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, se afastasse do cargo, os mesmos líderes da oposição se reuniram na manhã desta terça-feira com o peemedebista na residência oficial da presidência Câmara para discutir os novos caminhos do impeachment. Na reunião, Cunha tentou condicionar o encaminhamento de um pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff a um apoio posterior contra a cassação de seu mandato. Na conversa, ele reclamou da nota assinada por PSDB, DEM, SD, PSB e PPS defendendo seu afastamento da presidência da Câmara, para se explicar sobre as denúncias de que possui contas na Suíça, abastecidas com recursos de propina do petrolão.


Estou sendo abandonado por vocês. Começo a ficar convencido de que se eu entregar a cabeça de Dilma, vocês entregam minha cabeça no dia seguinte. Eu sou o foco único do Janot e isso é decorrente da minha posição de opositor do governo. Eu fui escolhido pelo procurador para tirar Dilma e o PT do alvo da Lava-jato. Porque isso não acontece com Renan que tem processo aberto no Supremo? —reclamou Eduardo Cunha.

 

Os líderes presentes se equilibram entre a desgaste político pela aliança com Cunha para garantir o impeachment e a necessidade de mantê-lo do lado da oposição para que admita a abertura do processo de afastamento. Cunha reiterou inocência, disse que estava no alvo do procurador Rodrigo Janot por ter batido de frente com o governo e revelou estar sendo procurado também por emissários da presidente Dilma em busca de um acordo para não deflagrar o processo de impeachment.


 

  • Nós explicamos a ele que, ao divulgar aquela nota, estávamos atuando no limite de nossa responsabilidade, que era pedir a apuração das denúncias, como fazemos com qualquer um que sofra esse tipo de investigação — contou um dos líderes presentes.

  • Na véspera, o presidente da câmara se reuniu, à noite, pela segunda vez nos últimos dias, com o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner. Cunha não revelou, entretanto, o que estaria sendo oferecido em troca.

Participaram da reunião na casa de Cunha os líderes do PSDB, Carlos Sampaio (SP), e do DEM, Mendonça Filho (PE), o líder do PPS, Rubens Bueno (PR), e o líder da Minoria, deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), além do deputado Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) e de Paulinho.



OPOSIÇÃO APRESENTARÁ NOVO PEDIDO DE IMPEACHMENT

Após a conversa com Cunha, os líderes se reuniram com juristas e decidiram que apresentarão um novo pedido de impeachment. O pedido, previsto para ser apresentado nesta sexta-feira, incluirá a formulação já apresentada pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Jr. e Janaína Paschoal, mas incluirá também as operações conhecidas como “pedaladas fiscais” que teriam continuado em 2015.


Apresentaremos o novo pedido sexta-feira e, já na próxima semana, o presidente (da Câmara) Eduardo Cunha vai poder apreciar (o pedido) sem nenhum atraso — disse o líder do PSDB, Carlos Sampaio (RJ).

A ideia anterior era incluir no pedido de Bicudo a indicação da continuidade neste ano das “pedaladas fiscais” de 2014, no entanto, o Supremo proibiu a alteração. A partir da decisão do STF, os parlamentares decidiram apresentar novo pedido, que deve conter o teor do texto antigo e as "pedaladas" deste ano.


Vai ser um pedido novo com a consolidação da tese das pedaladas em 2014 e 2015 contaminam as contas da presidente Dilma e caracterizam o crime de responsabilidade — explicou o líder do DEM, Mendonça Filho (PE).

Mais cedo, a oposição também decidiu entrar com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) para derrubar decisão dos ministros Teori Zavascki e Rosa Weber de anular o rito instituído pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que permitiria recurso ao plenário, com votação em maioria simples, caso o pedido de impeachment fosse indeferido.

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!