Papa: conhecimento científico deve ser compartilhado

19/09/2015 01:54

Papa: conhecimento científico deve ser compartilhado

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco recebeu dia 18/09 os participantes do Simpósio promovido pelo Observatório Astronômico Vaticano – última audiência antes de partir para sua 10ª viagem internacional neste sábado (19/09). O Simpósio, realizado de 14 a 18 de setembro, foi convocado para celebrar os 80 anos de atividades do instituto em Castel Gandolfo.

Em seu discurso, o Papa ressaltou a ligação do Observatório com a Companhia de Jesus, cuja gestão foi confiada pelo Papa Pio XI. Já Santo Inácio de Loyola, recordou, admirava a vastidão do universo como algo maior do que um problema científico a resolver. O Santo contava que sua consolação maior era olhar o céu e as estrelas porque isso lhe fazia sentir um grandíssimo desejo de servir o Senhor.

Quanto ao Simpósio, entre os temas em debate Francisco deu destaque ao diálogo inter-religioso. “Hoje, mais urgente do que nunca, a pesquisa científica sobre o universo pode oferecer uma perspectiva única, compartilhada por fiéis e não fiéis, que ajude a alcançar uma melhor compreensão religiosa da criação.” Nesse sentido, o Papa citou as Escolas de Astrofísica que o Observatório organizou nos últimos 30 anos como uma “preciosa oportunidade” em que jovens astrônomos de todo o mundo dialogam e colaboram na busca da verdade.

 

O Pontífice falou ainda da importância de que os cientistas compartilham o dom do conhecimento científico com as pessoas, “dando grátis aquilo que grátis foi recebido”.

 

Francisco concluiu seu discurso encorajando os membros do Observatório a continuarem o caminho da exploração do universo. “Sim, todos estamos em viagem rumo à casa comum do céu, onde poderemos ler com admiração o mistério do universo.”

 

Ainda, o Papa nomeou como novo Diretor do Observatório o sacerdote estadunidense Guy Joseph Consolmagno, S.I.. O jesuíta já era Membro da instituição e é Presidente do Vatican Observatory Foundation. Pe. Consolmagno sucede ao jesuíta argentino José Gabriel Funes.