Papa envia bênçãos à população atingida

21/01/2016 15:07

Papa envia bênçãos à população atingida por obra da Monsanto

Cidade do Vaticano (RV) – Em mais uma demonstração de sensibilidade ‘ecológica’, o Papa Francisco escreveu uma carta de apoio a uma jovem argentina que, com a população de sua região, trava uma batalha contra a construção de um enorme empreendimento da multinacional Monsanto.

 

Impacto social e ambiental

Vanessa Sartori é uma ativista do movimento Assembleia das Malvinas Argentinas – cidade da província de Córdoba – que combate contra a Monsanto, maior corporação agrícola mundial, e sua intenção de construir uma fábrica de milho transgênico a poucos metros das residências e escolas de seu bairro. Ela escreveu ao Papa uma carta ilustrando contando o problema, no dia 10 de janeiro.

Em declaração ao ‘Outras Mídias’ em outubro passado, Vanessa afirma que o produto seria para biocombustível e não para alimentos, e utilizaria milhões de litros de água e pesticidas. “A empresa e o município estão contrariando leis que proíbem a instalação, e o interesse da população é violado. Prometem trabalho e progresso, mas é falso”.  

A região é cercada por plantações de transgênicos e fumigações. O impacto na vida das pessoas é sentido pela contaminação vivenciada por familiares, vizinhos e no próprio corpo.Segundo moradores, os lucros do empreendimento são privados e nos territórios ficam a doença e a devastação.

 

Vanessa, psicóloga e mãe de uma menina de 4 anos, resume na carta ao Pontífice os passos do Movimento. A luta popular começou em 2012. Em 2014, a justiça argentina suspendeu a construção, considerando-a uma violação da lei nacional do meio-ambiente. 

 

A resposta do Papa a Vanessa 

 

Obrigado por sua carta e por todo o bem que está fazendo – escreve o Papa em sua carta de resposta. À senhora, à sua família e à comunidade paroquial de Malvinas Argentinas envio certamente minhas preces e bênçãos. Que o Senhor os abençoe e Virgem Santa os ajude; e por favor, não se esqueçam de rezar por mim. Cordialmente, Francisco”.