Piadas de salão - Por Igor Gielow

31/10/2015 23:06

Folha de S. Paulo

À usual retórica da "perseguição das elites e da mídia", Lula adicionou troça para comentar o fato de que a PF cumpriu o que a lei lhe ordenou e bateu nas portas de sua família numa investigação.

 

No tom chão de fábrica que o tornou o melhor orador popular do país, ironizou aos seus no encontro do PT de quinta (29) que suas noras iriam acabar brigando pelas propinas que são atribuídas à sua família.

 

Lembrou um antigo companheiro seu, Delúbio Soares, dizendo que o mensalão viraria "piada de salão". Bom, o ex-tesoureiro petista acabou encarcerado no julgamento do caso.

 

A bazófia revela o nível de nossa política, numa semana em que o Diabo se divertiu no cerrado: teve líder do PT incitando violência, senador do DEM trocando impropérios com ministro, deputados irrelevantes fora da rede social ganhando... rede social. Enquanto isso, o país manquitola para 2016 com o impeachment no ar e a economia bichada, e só agendas regressivas avançam na Câmara.

Falta exemplo. Num lugar sério, filho de presidente é tão escrutinado quanto o pai, e a máxima da mulher de César vale especialmente para a "primeira-família". Aqui, não pode.

A despeito do desfecho das investigações, o caso em questão na mira da Operação Zelotes permitiria em outro país levantar a bandeira de uma necessidade civilizatória: a legalização e normatização do lobby.

 

Enquanto lobista não andar com crachá, ele merecerá relatórios policiais adjetivados e reportagens flertando com o udenismo. Claro, a inércia deixa todo mundo feliz: o empresário atendido, o lobista comissionado e a autoridade "presenteada".

 

Vivemos numa antessala do capitalismo. Demagogias populistas, a maioria, mas não só, à esquerda, são triviais da academia às cortes superiores, contaminando o debate, como prova o caso do financiamento privado de campanhas.

 

A esperança poderia estar na política, mas aí você olha e vê o vazio.


 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!