Poder, Política e Bastidores

03/08/2015 21:09

Coluna do Cláudio Humberto

VACCARI DISCUTE DELAÇÃO E O PT ENTRA EM PÂNICO

A cúpula do PT tem discutido o “risco João Vaccari Neto”, ex-tesoureiro preso pela PF na Lava Jato. Ele se queixa de “abandono” e tem citado o exemplo do que aconteceu ao mensaleiro Marcos Valério, condenado a quase 40 anos de prisão por fechar a boca. Vaccari insinua sempre uma possível delação premiada. Não fechou acordo ainda em razão de apelos dramáticos do ex-presidente Lula, anteriores à sua prisão.

 

BOCA NO TROMBONE

Líderes do PT contam que a pressão em Vaccari deve aumentar após o acordo de delação que tirou o lobista Mário Góes da prisão.

 

LINHA DURA

João Vaccari Neto está em cana desde abril e já teve seu pedido de soltura negado pelo juiz Sérgio Moro, que conduz a Lava jato.

 

FICHA CORRIDA

O ex-tesoureiro Vaccari sabe que, sem delação, terá pena longa. Ele foi acusado por pelo menos cinco delatores, na Lava Jato.

 

DEDOS ACUSADORES

Denunciaram Vaccari, entre outros, Alberto Youssef, Paulo Roberto Costa, Pedro Barusco, Hermelino Leite e Augusto Ribeiro Mendonça.

 

ADVOGADO ALERTA PARA HOSTILIDADES CONTRA COLEGAS

A exemplo de Beatriz Catta Preta, que até abandonou a profissão, Celso Lemos, um dos mais admirados e requisitados criminalistas de Brasília, confessa sua angústia diante dos casos de intimidação e perseguição a advogados: “Vive o Brasil uma quadra de tempo em que a advocacia criminal vem sendo hostilizada por segmentos da sociedade, e o que é pior, também por segmentos institucionais”.

 

OAB ESTÁ ATENTA

O presidente da OAB, Marcus Vinícius Furtado Coelho, é autor da ação no STF que garantiu a Catta Preta o sigilo na relação com os clientes.

 

VIGILÂNCIA

Celso Lemos apela à vigilância da imprensa, noticiando ameaças a advogados com isenção e “desafetado de incompreensões.”

 

PURO FASCISMO

O criminalista vê certo fascismo nas agressões ao advogado, “o mais importante protagonista do direito de defesa do cidadão.”

 

DUAS AMIGAS E UM DESTINO

No Congresso, Dilma vem sendo comparada a Graça Foster, que assumiu na Petrobras prometendo moralizar e saiu enrolada e com danos na credibilidade. Dilma segue o mesmo destino da amiga.

 

DE VOLTA AO CENÁRIO

Impávido, elegante e de pasta na mão, o ex-gerente milionário da Petrobras Pedro Barusco almoçou sexta (31) no restaurante D’Amici, no Leme, Rio. Sem alegria nem tristeza, como se fosse ontem. Lá, disse o maître, ele costumava almoçar com o ex-diretor Renato Duque.

 

LEILÃO EM RISCO

A chefe de Licitações, Cláudia Rabello, foi demitida da ANP (Agência Nacional do Petróleo), pela diretora-geral Magda Chambriard, que ficou irritada com seu alerta de fracasso da próxima Rodada de Licitações de Blocos Exploratórios, marcada para 7 de outubro.

 

O PADRINHO

O relator da CPI da Petrobras, Luiz Sérgio (PT-RJ), colocou as barbas de molho. Foi ele quem bancou a indicação do presidente em exercício da Eletronuclear, Pedro José Diniz de Figueiredo.

 

IDIOMAS DIFERENTES

Na Câmara, o ministro Gilberto Kassab (Cidades) não fala a mesma língua do próprio partido, o PSD. Sabendo da repulsa de São Paulo a Dilma e ao PT, ele é tímido na defesa ao governo. Já os deputados...

 

PRESTÍGIO ABALADO

Com a taxa de juros em níveis siderais, abriu um rombo no casco da imagem de Joaquim Levy entre analistas do mercado, que tanto apostaram nele – até esquecendo a distância entre sonho e realidade.

 

TCU NÃO ESQUECE

Continua insustentável a situação de Aroldo Cedraz no Tribunal de Contas da União. Seus colegas ministros priorizam julgamentos como o das “pedaladas fiscais”, mas não esquecem as graves denúncias envolvendo o do presidente do TCU e seu filho na Operação Lava Jato.

 

INGRATIDÃO

Lula agora odeia críticas e críticos, mas quando era um desconhecido sindicalista, no começo da carreira, e antes de sua eleição, quando liderou caravana pelo País, foi capa de revistas que agora processa.

 

PENSANDO BEM…

…estudioso do enriquecimento de urânio, o almirante Othon Pereira corre o risco de ser acusado de enriquecimento pessoal, na Lava Jato.

 

Fonte: Diário do Poder (www.diariodopoder.com.br)