Porandubas Políticas - Por Gaudêncio Torquato

19/02/2016 18:14

Porandubas Políticas

Por Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato

 

Newton Cardoso, ex-governador de Minas Gerais, é um bom contador de histórias. Já ouvi alguns "causos" narrados por ele. Mas Newtão, como é conhecido, coleciona muitas histórias sobre ele mesmo.

Vejamos algumas.

Heliocóptero

Quando assumiu o governo de Minas, foi, no dia seguinte, ao aeroporto para viajar no helicóptero da administração estadual. Ao tomar conhecimento de que aquele "trem" tinha o nome de seu adversário (ex-governador Hélio Garcia), foi logo dando bronca no piloto :

- Não entro de jeito nenhum nesse trem com o nome do Hélio.

O piloto, constrangido, respondeu :

- Mas governador, esse helicóptero é do governo do Estado e não do ex-governador Hélio.

Newtão não quis saber :

- Esse trem agora vai se chamar Newtoncóptero. Falei e tá falado.

Burrinhos

Outra historinha envolvendo o folclórico ex-governador. Resolveu passear de carro com a família. O carro pifou na estrada. O mecânico, que o socorreu, diagnosticou :

- São os burrinhos dos freios ; estão danificados. Acho bom trocar logo esses burrinhos.

Cardoso deu a bronca :

- Calma, seu mecânico, meus filhos não descerão dos burrinhos de jeito nenhum.

Leite pasteurizado

Preocupado com as notícias de que o leite estava contaminado, Newtão pegou um pastel e começou a mexer dentro da xícara. Alguém perguntou :

- Mas o que é isso, governador ?
- Estou pasteurizando o leite.

Porquinos

Em palanque :

- Minas sempre se preocupou mais com a criação de bovinos e equinos. Mas eu, agora, vou cuidar da criação de porquinos.

Grande figura !

______________

Cerco a Lula

O cerco a Lula continua. Deverá ser ouvido, hoje, em São Paulo. O empresário Jonas Suassuna, um dos nomes em que está registrado o sítio de Atibaia, também deverá prestar depoimentos nos próximos dias. Parece não haver mais dúvidas sobre a propriedade do sítio, ou seja, pertence mesmo aos empresários Jonas Suassuna e Fernando Bittar. Mas as reformas no sítio, como está evidente, foram feitas sob o olhar e os interesses da família Lula da Silva. O fato é que a dissonância está no ar. Entrou nas ondas sociais. Lula, por mais que negue ser o dono do sítio, não se livrará tão cedo deste imbróglio.

A verdade

A verdade sempre aparecerá. Mais cedo ou mais tarde. É preferível enfrentar uma verdade que resulte em danos de imagem do que arrumar uma versão estrambótica. A aceitação da verdade - com enfrentamento das consequências - ao longo do tempo acabará sendo a opção mais viável para recompor a identidade dos protagonistas envolvidos em situações polêmicas. Essa observação se aplica tanto a Lula como a outros atores que vivem o dilema de dizer a verdade ou contar lorotas.

Impeachment recua

A ideia do impeachment da presidente Dilma recuou. Digamos que, na régua de 0 a 100, já havia frequentado a casa 70. Hoje, circula entre as casas 20 e 30. Ou seja, continua na tela do radar, mas com sinais fracos. A hipótese mais provável é a de que a presidente continue no cargo, mesmo sob a mira de opositores, que acompanharão, atentos, os processos em análise e julgamento no TSE.

TSE tem 4 processos

O Tribunal Superior Eleitoral julga quatro casos contra a chapa Dilma/Temer, relativos às contas de campanha e abuso de poder. Foram impetrados pelo PSDB, que, há dois meses, tentava se encostar no vice-presidente Michel Temer, em quem enxergava a alternativa de poder. Hoje, os tucanos se afastam do PMDB. O vice-presidente lembrou, em sua defesa, que o PSDB recebeu cerca de 40 milhões das mesmas fontes doadoras de recursos ao PMDB.

Moro aponta

O juiz Sérgio Moro, indagado pelo TSE, respondeu ter constatado propina direcionada a doações oficiais ao PT. Por isso, o TSE deverá aprofundar as investigações, juntando os quatro processos que analisa. O vice-presidente Temer, por sua vez, alega na densa defesa feita pelo advogado Gustavo Bonini Guedes, que as contas de sua campanha foram separadas das contas da presidente. As duas tiveram tesourarias próprias e doações diferentes.

Processo lento

Por mais que o TSE se esforce para acelerar as investigações, esse processo deverá correr até o final de ano. Abarca oitivas, recursos, embargos e subida ao Supremo, onde deverá ser julgado. Ou seja, o contencioso sob investigação e julgamento nas Cortes da Justiça deverá tomar todo o ano jurídico.

Vitorino, o filósofo

Vitorino Freire, ex-manda chuva e filósofo do Maranhão :

- Quando o pasto pega fogo, preá cai no brejo.
- O risco que corre o pau, corre o machado.
- Não quero que ajudem meu roçado. Só quero que os bois do vizinho não entrem nele.
- O Sarney não conhece o tamanho do meu roçado. De um lado da cerca eu grito e ele não ouve do outro lado.
- Política no Maranhão é um bumba-meu-boi que não sai sem mim.

Picciani versus Motta

Hoje, deverá ser eleito o novo líder do PMDB. Leonardo Picciani ou Hugo Motta. Os dados favorecem Picciani, mas o voto secreto poderá apresentar surpresas. Picciani, se for eleito, estampará em sua face a condição de "líder do governo", por mais que se esforce para unir a bancada. Motta, se for o escolhido, será visto como extensão dos braços de Eduardo Cunha. Essa divisão marcará o PMDB pelos próximos tempos. A unidade virá, mas não tão cedo. A sobrevida de Cunha depende da eleição do paraibano.

A cunha de Cunha

Seja qual for o resultado, o presidente da Câmara tentará inserir uma cunha na agenda de interesse do governo Dilma. A pauta governista não será aprovada com facilidade. A CPMF, por exemplo. Cunha agirá como um aríete a fustigar a fortaleza governista. A conferir.

Janela da infidelidade

A partir da promulgação da emenda que permite aos parlamentares migrar de sigla, sem perder o mandato, veremos nos próximos dias um troca-troca partidário que poderá mudar a composição das forças governistas e oposicionistas. O PT pode perder mais de 10 deputados. Que temem desgaste se ficarem no partido. Mas a migração maior deverá ser mais adiante com a fundação de novos partidos. As oposições podem crescer um pouco, não no volume que se imaginava. Cerca de 10% dos deputados devem mudar de casa, algo como 50 nomes.

Opinião pública

Dos trechos de discursos mais pinçados do juiz Sérgio Moro, um chama bastante atenção : é o que traz o apelo de Moro ao apoio da Opinião Pública. Taxativamente, ele diz que a prisão de atores de primeira grandeza "depende de vocês", referindo-se à plateia que o assistia. Moro acha que a cooptação social é fundamental para que o processo de investigação e condenação de altos políticos tenha inteiro sucesso. Está certíssimo.

Refluxo dos movimentos

Os movimentos sociais podem voltar com força às ruas. Como e em que circunstâncias ? 1. Se o bolso vazio começar a apertar o estômago ; a classe média C, emergente, descendo para a classe D, acharia o motivo para engrossar a fileira das ruas ; 2. Caso haja uma denúncia-bomba, com provas fartas, envolvendo a presidente da República ; 3. Nas margens eleitorais de outubro, ante a possibilidade de as Cortes Judiciais decidirem inocentar os atores políticos envolvidos no petrolão.

PMDB em 2018

Não há mais dúvida. De tanto repetir que terá candidato a presidente da República em 2018, o PMDB não tem mais condições de recuar. O Congresso do partido, em março, tomará esta decisão. Procura-se, desde já, um nome. Condições : respeitado pela sociedade ; admirado na área política ; experiente e articulado ; com autoridade para definir rumos ; capaz de formar uma equipe plural, os melhores entre os melhores ; visto como a síntese da unidade nacional. Quem preencher estas condições habilite-se. Sabendo que uma candidatura assim nasce de baixo, não de cima.

Tempestade informativa

Para refletir : quando o vento forte corre numa direção, ninguém é capaz de detê-lo. Outra imagem : quando um tufão informativo vai na direção norte, uma ventania contrária será por ele engolido. Ou seja, o vento mais forte afasta o vento menos forte. O PT e Lula tentarão se contrapor à tempestade midiática que bate nos costados do lulopetismo. Não conseguirão impor sua versão contra a abordagem midiática. Por isso mesmo, este consultor acha complicada a tentativa do PT de resgatar a imagem do Lula herói, salvador da pátria. O dano já está feito.

Lobby

O lobby tem como principal objetivo intermediar interesses de grupos perante a esfera pública, organismos (estruturas administrativas) e Poderes do Estado (Executivo, Legislativo e Judiciário). Tal modalidade não é um fenômeno contemporâneo. Faz-se presente nos ciclos históricos, inscrevendo-se, inclusive, nos primeiros dicionários de política. Rousseau, no Contrato Social, perorava sobre a oportunidade de cada cidadão participar nos rumos políticos, garantindo haver "inter-relação contínua" do "trabalho das instituições" com as "qualidades psicológicas dos indivíduos que interagem em seu interior". Esse é, aliás, um dos fundamentos da democracia participativa, aqui entendida como o sistema que permite aos cidadãos e suas representações se livrarem da coerção para influir de maneira autônoma no processo decisório. O lobby tem relação com este conceito.

Legalização

O lobby não pode ser feito às escuras em defesa de interesses de grupos e pessoas. Por isso, carece ser legalizado. O projeto que tramita no Congresso, há anos, carece nova avaliação à luz da realidade social e política do país. Somente o marco regulatório sobre a matéria poderá diminuir a taxa de corrupção, eis que desvendará o que está por trás das máscaras. Reivindicações gerais, difusas, particulares, explícitas ou latentes, passarão pela lupa da mídia. A publicidade das ações contribuirá para distinção entre o justo e o injusto, o lícito e o ilícito, o correto e o incorreto, o oportuno e o inoportuno. Lobistas ou articuladores institucionais da sociedade civil terão identidades e representações divulgadas. Seria uma maneira de adensar o corpo de nossa democracia participativa, conferindo mais força e significado à democracia, o regime do poder visível.

Pérolas do Barão de Itararé

- A esperança é o pão sem manteiga dos desgraçados.
- Adolescência é a idade em que o garoto se recusa a acreditar que um dia ficará chato como o pai.
- O advogado, segundo Brougham, é um cavalheiro que põe os nossos bens a salvo dos nossos inimigos e os guarda para si.
- Senso de humor é o sentimento que faz você rir daquilo que o deixaria louco de raiva se acontecesse com você.
- Mulher moderna calça as botas e bota as calças.
- A televisão é a maior maravilha da ciência a serviço da imbecilidade humana.

 

Porandubas Políticas

Gaudêncio Torquato
 
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!