Porandubas Políticas - Por Gaudêncio Torquato

30/06/2016 09:35
Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato
Por Gaudêncio Torquato
 
Abro a coluna com um curto relato, que retrata o jeito de ser de nossas plagas.
 
Retrato do Brasil
 
Um sujeito comprou uma geladeira nova e, para se livrar da velha, colocou-a em frente a casa com o aviso : "De graça. Se quiser, pode levar". A geladeira ficou três dias sem receber um olhar dos passantes. Chegou à conclusão : ninguém acredita na oferta. Parecia bom demais pra ser verdade. Mudou o aviso : "geladeira à venda por R$ 50,00". No dia seguinte, a geladeira foi roubada ! (Historinha enviada por Álvaro Lopes).
 
Rápidas pinceladas I
 
A esfera política continua em estado de expectativa. A Câmara espera o desenrolar do processo de impeachment da presidente Dilma no Senado para redefinir seu comportamento em relação ao governo Temer. O Senado acompanha atentamente os trabalhos da Comissão de Impeachment. Mas uma impressão domina os ambientes : a cada dia, expande-se a convicção de que a pasta não voltará ao tubo. Dilma se distancia do Palácio do Planalto.
 
Rápidas pinceladas II
 
A comunidade acompanha a cena política com atenção, aplaudindo o Judiciário do juiz Moro, repudiando os perfis embalados no celofane da lama, e sob a angústia de ver comprimido seu poder de compra. Moro tem sido muito festejado por onde circula. O STF, principalmente pelas decisões do ministro Teori Zavascki, continua a ganhar palmas da sociedade. Mas um ou outro ministro recebe também apupos.
 
Rápidas pinceladas III
 
Os organismos de controle e investigação - MP e PF - continuam a desempenhar suas funções, sob o temor de quadros congressuais que temem ser envolvidos na malha das operações. O fato é que a Lava Jato está no piloto automático, seguindo seu rito e seu ritmo, não se sujeitando a forças contrárias que, eventualmente, tenham interesse em paralisá-la. As instituições funcionam a contento, anulando qualquer ideia de golpe "branco", como alguns "intelectuais" chegam a afirmar.
 
PT também quer solução
 
O PT está cada vez mais interessado em ver solucionado o impasse do impeachment. Não interessa ao partido permanecer choramingando e exigindo a volta de Dilma. Quanto antes houver a decisão, mais tempo ganhará para correr às ruas e subir nos palanques em defesa de seus candidatos a prefeito. Hoje, o partido conta com cerca de 650 prefeitos. Receia se inviabilizar no pleito de outubro. Seus candidatos levarão na testa a marca de corrupção que se fincou no território petista. A campanha de 45 dias de rua e 35 de rádio e TV será muito disputada. E sem uma base municipal forte, o PT verá sombrios horizontes em 2018.
 
O que se espera
 
Que moldura o país espera para os próximos meses ? Um retrato de cores mais nítidas para os valores da confiança, do otimismo e da crença. Valores que, por sua vez, serão resgatados sob o empuxo de algumas posições : queda da inflação, refluxo na frente do desemprego (que chega aos 12 milhões de pessoas) ; queda de juros ; maior estabilidade na área política ; maior confiança no governo. Já começa a circular a hipótese de que a melhoria das condições econômicas seja antecipada para os meados do segundo semestre.
 
Como fazer eleições sem dinheiro ?
 
A pergunta recorrente é : como realizar o pleito municipal de outubro sem recursos ? Doações de empresas estão proibidas ; o Caixa 2 será examinado com lupa muito precisa ; o povo está dando as costas para a política ; as campanhas eleitorais não mais entusiasmam ; e em outubro, a operação Lava Jato poderá estar disparando mais tiros por muitos lados. A campanha deste ano terá um jeito próprio : olho no olho, mão na mão, casa a casa, compromisso rígido com eleitor. Daí o conselho : candidato deve adquirir uns bons pares de sapato. Com sola grossa e borracha firme.
 
Os 5 eixos do marketing
 
O marketing político comporta cinco eixos : a pesquisa, o discurso (propostas, ideias, projetos), a comunicação, a articulação e a mobilização. Nas campanhas anteriores, a comunicação assumia a posição mais importante. Na campanha deste ano, a perna da articulação será prioritária. Articulação comporta a formação de uma teia de contatos estreitos com a sociedade organizada - sindicatos, associações, federações, grupos, núcleos, categorias profissionais, movimentos. Esses novos polos de poder dão empuxo à sociedade. A perna da mobilização também se faz importante pelo fato de ser a locomotiva que puxa a animação social. Urge animar o eleitor, motivá-lo a votar.
 
Sinais positivos
 
O governo Temer já começa a animar parcelas do mercado. Sinais positivos são deixados aqui e ali por alguns setores. A iniciativa do governo de formar um núcleo forte para impulsionar a infraestrutura - portos, aeroportos, estradas etc.- começa a ter fortes apoiadores. Essa secretaria está sendo tocada por Moreira Franco, que vem com a experiência na frente da Aviação Civil.
 
Serra
 
José Serra é um sujeito ambicioso. E preparado. Em pouco tempo, já criou uma identidade para as Relações Exteriores. Fura a redoma do isolacionismo a que foi relegado o país. Fura a redoma do bolivarianismo. Procura outros eixos. Serra quer alargar os caminhos entre o Brasil e a Europa. É um dos mais animados ministros do governo Temer. Claro, ele tem uma meta : preparar sua trajetória para se firmar como candidato à presidência em 2018.
 
Meirelles
 
Henrique Meirelles e sua equipe se apresentam como unanimidade. Formam uma equipe homogênea. Têm consciência de que a solução mais desejada pelo corpo nacional é a melhoria da economia. Se a economia der sinais de ativação no médio prazo, Meirelles despontará como o maestro da Esplanada dos Ministérios. Em condições de se tornar o principal artífice do projeto presidencial de 2018.
 
Turismo
 
O Ministério do Turismo deverá ganhar um novo ministro. Poderá ser um deputado do PMDB mineiro. Que reivindica um posto na Esplanada dos Ministérios. Vinicius Lumertz, de SC, um perfil que tem bom conhecimento sobre o turismo nacional, é o nome mais indicado e aplaudido pelo trade para preencher a vaga. Mas as pressões políticas falam mais alto. E o presidente carece de apoio político no Congresso.
 
Pleito paulistano
 
Celso Russomano é a grande incógnita que se apresenta no cenário paulistano nesse momento. O STF poderá condená-lo no processo que enfrenta e, desse modo, estaria com a ficha suja e sem condições de participar do pleito. Tem 25% de intenção de voto. Receberá a primeira decisão da ministra Cármen Lúcia, que pediu ao PGR pressa no encaminhamento do processo. Deverá ser julgado em agosto. O pedido de pressa feito pela ministra mineira quer dizer alguma coisa ? Se Russomano não puder ser candidato, João Doria poderá ser o mais beneficiado. Se chegar ao segundo turno, tem grande possibilidade de levar a melhor.
 
A rejeição de Marta
 
Marta Suplicy tem alta rejeição : 42%. Conseguirá reverter essa taxa ? Difícil. A rejeição se dá no meio da pirâmide. A classe média paulistana é a mais crítica do país. Reúne os conjuntos de profissionais liberais, professores, empresários etc. Marta não conta com o apoio maciço desses grupamentos. Mas registra bons índices nas margens sociais.
 
Haddad
 
Fernando Haddad tem condições de chegar ao segundo turno ? Sim. A máquina da prefeitura abre espaços no eleitorado, principalmente na periferia. Mas Haddad leva junto com ele formidável parcela da rejeição que se faz ao PT. Por isso, se for para o segundo turno, terá poucas chances.
 
Lei Rouanet
 
Ainda bem que a Lei Rouanet está sendo passada a limpo. Esta operação Boca Livre, que flagra os fraudadores da lei, mostrará quem se aproveitou das prerrogativas e benesses concedidas pela legislação. Tem gente séria fazendo arte. Mas tem gente que fez até festa de casamento com recursos da lei . A PF aponta fraudes em 250 contratos da Lei Rouanet sem fiscalização do Ministério da Cultura.
 
Dirceu indultado
 
O procurador-Geral da República Rodrigo Janot pede perdão judicial para o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, no processo do mensalão. Em manifestação, Janot reconheceu o 'indulto ao sentenciado, com a consequente declaração de extinção da punibilidade'. O indulto atende pedido do criminalista José Luís Oliveira Lima, que defende José Dirceu.
 
Apoio do agronegócio
 
O agronegócio brasileiro fará manifesto de apoio ao governo Michel Temer por ocasião do Global Agribusiness Forum (GAF), a se realizar na próxima segunda-feira. Eis um trecho da mensagem : "fundamental na geração de divisas, emprego e renda, e estratégico para o desenvolvimento sustentável do Brasil, o agronegócio acredita que a nova administração Federal tem legitimidade constitucional e conta com o comprometimento de uma equipe econômica competente. Acredita também na sua capacidade para reorganizar aspectos macroeconômicos essenciais no curto prazo para que a partir de reformas estruturais profundas possamos readquirir a confiança do setor privado, retomar investimentos e, consequentemente, recolocar o Brasil na trajetória de crescimento".
Fecho a Coluna com a folclórica Bahia.
 
Conjunção rachativa
 
Historinha da Bahia. Grande de nome e pequeno de corpo. Magricela, esperto, inteligente, José Antônio Wagner Castro Alves Araújo de Abreu, sobrinho-neto de Castro Alves, herdou o DNA, o talento e a vadiagem existencial do poeta. Não gostava de estudar. No esporte, era bom em tudo. Colega de Sebastião Nery, no primeiro ano do seminário menor, na Bahia, em 1942, na aula de português, o padre Correia lhe perguntou o que era "mas".
 
- É uma conjunção.
 
- Certo, mas que conjunção ?
 
Zé Antônio olhou para um lado, para o outro e respondeu :
 
- Conjunção rachativa, professor.
 
- Não existe isso, Zé Antônio.
 
- Existe, professor. Quando a gente quer falar mal de alguém, sempre diz assim : - Fulano até que é um bom sujeito, mas... E aí racha com ele.
 
 
Fonte: 
Gaudêncio Torquato
 
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!