Protestos em todos os estados, com menos adesão

14/12/2015 07:51

Na Avenida Atlântica, no Rio, manifestantes estendem uma enorme faixa com a inscrição “Impeachment já”. Os protestos, menores que os anteriores, reuniram 83 mil pessoas em todo o país. Para os organizadores, serviram como “um esquenta” para o ano que vem.

Menores, protestos reúnem 83 mil

Apesar do número bem inferior ao de agosto, organizadores dizem que foi um ‘esquenta’ para o ano que vem

 

André de Souza, Chico Otávio, Eduardo Bresciani Sérgio Roxo – O Globo

 

-BRASÍLIA, RIO e SÃO PAULO - Os primeiros protestos depois do início do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, realizados ontem em pelo menos 87 cidades de todos os estados e no Distrito Federal, não tiveram a mesma força dos anteriores. Nos municípios onde houve divulgação dos números pela PM, o total foi de 83 mil manifestantes. Os atos anteriores, realizados no dia 16 de agosto, atraíram 879 mil. Os próprios organizadores admitiram que a adesão foi mais baixa, mas consideraram o balanço positivo pelo pouco tempo que tiveram para a convocação. Os protestos também foram avaliados pelos líderes como uma espécie de “esquenta” para o ano que vem.


Na capital paulista, a PM chegou a afirmar que não faria estimativa, mas, no início da noite, divulgou um cálculo de 30 mil pessoas na passeata pela principal avenida da cidade. O protesto anterior havia reunido 350 mil. Com bom humor, um dos destaques foi o boneco inflável do “Super Moro”, referência ao juiz Sérgio Moro, da Operação Lava-Jato, vendido por R$ 10. Um pato inflável gigante, da campanha pela redução de impostos, também chamou a atenção em frente ao prédio da Fiesp.

 

Em Brasília, 6 mil manifestantes

Em Brasília, pelos cálculos da PM foram seis mil manifestantes. Em agosto, haviam sido 30 mil pessoas. A maioria pediu o impeachment, mas alguns chegaram a defender a intervenção militar. Durante o protesto, os manifestantes levaram um caixão com uma caricatura de Dilma, que acabou sendo queimado, para simbolizar o enterro do PT, e inflaram um boneco gigante da presidente.

 

O coordenador do Movimento Vem Pra Rua na capital federal, Jailton Almeida, avaliou o protesto como positivo devido ao pouco tempo de preparação para o ato. Ele afirmou que novas manifestações ocorrerão no próximo ano para pressionar o Congresso a aprovar o impeachment de Dilma. O grupo estimou em 15 mil o número de presentes no ato em Brasília:

 

Foi um dia muito especial, um dia muito bom. A população correspondeu. Nós tivemos muito pouco tempo. Foi só uma semana desde que o pedido de impeachment foi deferido até hoje.

 

Com um homem fantasiado de Batman à frente, a passeata no Rio percorreu a orla de Copacabana durante a tarde. A PM não divulgou estimativa de manifestantes. Os organizadores falaram em 20 mil pessoas. Uma grande bandeira verde e amarela foi estendida com a expressão “impeachment já”. Acima de um dos três carros de som, o humorista Marcelo Madureira liderou o ato. Ele chamou Lula de sociopata e alertou que “o pior está por vir”, para aplausos do público.


A passeata saiu do Posto 5, às 13h30m, em direção ao Copacabana Palace. Uma hora depois, um princípio de tumulto foi provocado pela chegada de um grupo de jovens skatistas, que foi confundido com petistas e hostilizado. Eles reagiram gritando “coxinhas” e “fora burguesia”. Mas soldados da PM intercederam e evitaram o confronto. Um dos policiais chegou a apontar uma arma de bala de borracha para os skatistas.

 

Em Curitiba, o ato começou na Praça Santos Andrade, passou pela Rua Marechal Deodoro, que chegou a ser fechada, e acabou na Boca Maldita, no Centro. Segundo a PM, o protesto reuniu 10 mil pessoas. A organização falou em 35 mil. Em Belo Horizonte, três mil pessoas se reuniram na Praça da Liberdade por cerca de duas horas. Os manifestantes carregaram uma grande bandeira de Minas Gerais, além de cartazes com dizeres como “Golpe é censurar a imprensa”.

 

Também houve manifestações em Goiânia, onde 4 mil pessoas se reuniram na Praça Tamandaré e percorreram 3,5 km. Em Maceió, o protesto foi na orla e contou com 1,5 mil pessoas, entre elas políticos do PSDB local. Foram colhidas assinaturas para a petição de um projeto de lei de iniciativa popular contra a corrupção. Em Florianópolis, o ato, na Avenida Beira-Mar Norte, foi batizado de “Esquenta para o Impeachment”. Participaram 1,2 mil pessoas.

 

Nas redes sociais, houve equilíbrio entre as hashtags #naovaitergolpe e #vemprarua, que ficaram praticamente empatadas ao longo do dia. Um vídeo do ator Alexandre Frota na passeata em São Paulo viralizou: defendendo o impeachment, ele afirmou que o Brasil está “muito viadinho” e precisando de ações mais “casca grossa”.

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!