Quem não acumula bens materiais é livre?

15/07/2015 00:15

Por Josenildo Melo

                     Quem não acumula bens materiais é livre?

              O que é a liberdade? É a sensação de está sempre pronto pra cumprir uma missão. É a capacidade de não está apegado a nada. É de fato livre todo aquele que não acumula bens materiais. Jesus Cristo estava profundamente correto ao escolher discípulos prontos a cumprir qualquer missão que fosse determinada. Todo ser humano rodeado de acúmulo de bens materiais tem apegos e geralmente apegos desordenados. O poder cega devido ao acúmulo excessivo de pessoas que o rodeiam e impossibilita ao Poderoso perceber a verdadeira realidade.

            O Mundo Em Que Vivemos produz riquezas suficiente a todos que o habitam; no entanto o acúmulo excessivo e desordenado impossibilita a percepção real de fatos e acontecimentos. E como sobreviver? Geralmente os mais simples, assim que possuem o acúmulo excessivo e desordenado de bens, tratam de afastarem-se o máximo possível de suas origens (passado de necessidades e verdadeira falta de tudo no quesito material). Daí, pois a mudança repentina de “mundo” o desejo contínuo de ouvir, ver e ler somente conteúdo que os distanciem o máximo do passado de dificuldades. O acúmulo excessivo de bens materiais impossibilita a real percepção do mundo e sua cruel realidade. Daí a expressão viver em mar de rosas; essa expressão significa culturalmente viver de tal forma afastado da realidade concreta. Outro aspecto em quem acumula bens excessivamente é o mangar continuamente dos pobres!
            O que é a vida? Vida significa existência. Do latim “vita”, que se refere à vida. É o estado de atividade incessante comum aos seres organizados. É o período que decorre entre o nascimento e a morte. Por extensão vida é o tempo de existência ou funcionamento de alguma coisa. Em depoimento ao jornal 'O Estado de S. Paulo', em 2010, o escritor Antônio Abujamra falou de sua percepção a respeito da vida e da morte. "A essência do meu progresso estava em poder aceitar a minha decadência. Ou seja, progredir até morrer, porque viver é morrer. E não me arrependo de nada." Antônio Abujamra além de escritor, diretor, ator, era filósofo e Jornalista.
            Os tolos, os materialistas, os obcecados por dinheiro, os que não conseguem ver além do umbigo possuem a característica de não serem livres; não sendo livres eis o porque da excessiva vontade de acumular bens materiais. Todo homem intelectualmente pobre é excessivamente apegado a bens materiais e geralmente bens materiais não conseguidos a custa de muito sangue, suor e lágrimas; mas geralmente o acúmulo advém de dinheiro fácil e que serviria pra que a vida fosse bem mais equitativamente coletiva. O que faz uma pessoa “roubar” dinheiro que seria usado pra aquisição de merenda escolar? O que faz uma pessoa “roubar” o dinheiro que seria usado pra comprar medicamentos? O que faz pessoas adquirirem bens excessivamente luxuosos?

            QUEM NÃO ACUMULA BENS MATERIAIS É LIVRE? É livre, é sereno, não tem desejo de vinganças, dorme tranquilo. Enquanto a justiça terrena jamais prender verdadeiros “ladrões” e somente pobres, negros e prostitutas; somente a certeza da morte ainda ocasiona medo em “ladrões poderosos”. No entanto, a desfaçatez de desvalores chega a tal ponto que o que passa na mente dos grandes ladrões do erário público é a certeza de viver o quanto pode e a consciência que já não mais existe, somente latejará no leito de morte e mesmo assim, ainda é capaz de assessores maléficos tentarem passar a imagem de que quem um dia vai morrer; era justo, íntegro e honesto!

            Conviver com os simples, com os desvalidos da sociedade nos traz uma certeza; a certeza de que tudo é efêmero e sem sentido! No palco da vida os acumuladores excessivos de riquezas materiais vivem por viver a incerteza tormentosa da prisão cotidiana. QUEM NÃO ACUMULA BENS MATERIAIS É LIVRE! Tão livre que impressiona em sorriso o olhar invejoso dos poderosos de plantão. O saboroso livro de José Antonio Pagola – Jesus – aproximação histórica – nos trouxe a grande certeza que faltava; a certeza de que quem não acumula bens materiais é livre!