Notícias

União de forças no Sudeste - Jornal O Globo

20/07/2018 17:43
União de forças no Sudeste Lydia Medeiros | O Globo Geraldo Alckmin venceu a batalha pré-eleitoral. O acordão com os partidos do centrão, além de garantir-lhe até 6 minutos na propaganda eleitoral de rádio e TV, palanque que sempre considerou decisivo, avança na construção de uma união entre...
Leia mais

O desafio da renovação do Congresso Nacional

20/07/2018 13:46
O desafio da renovação do Congresso Nacional, um poder desacreditado no Brasil Por CNBB Em artigo originalmente publicado no jornal Estado de São Paulo, o Estadão, o arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Scherer fala da importância de renovação do Congresso Nacional. Para o prelado, o foco das...
Leia mais

Coluna do Jornalista Arimatéia Azevedo - Portal AZ

20/07/2018 11:57
Cheiro ruim Influente e Conceituado Jornalista Arimatéia Azevedo - Credibilidade É muita séria, seríssima, um  verdadeiro caso de polícia, a denúncia de um ouvinte da FM Teresina sobre práticas heterodoxas na Secretaria de Educação quanto às contratações de gráficas. Aliás, pela denúncia...
Leia mais

Vera Magalhães: Alckmin joga com o regulamento

20/07/2018 11:29
Vera Magalhães: Alckmin joga com o regulamento - O Estado de São Paulo Presidenciável do PSDB aposta nos pilares da política tradicional para ganhar eleições e deixou para trás uma conhecida característica sua: a de jogar parado Desde o início de sua segunda caminhada para tentar chegar ao...
Leia mais

Luiz Carlos Azedo - Jornal Correio Braziliense

20/07/2018 11:24
- Correio Braziliense A sucessão de Villas Bôas, que estava fora de cogitação até o final do governo de Michel Temer, devido ao agravamento do seu estado de saúde, começa a ser discutida na caserna Discretamente, os militares ampliam sua influência no governo Michel Temer e junto aos demais...
Leia mais

O jogo do centrão - Jornal O Estado de São Paulo

20/07/2018 11:19
O jogo do 'centrão': Editorial  O Estado de São Paulo Deveria ser proibido para menores de 18 anos o noticiário sobre as articulações do chamado “centrão” em torno da sucessão presidencial. Para quem não está familiarizado com o subdialeto do baixo clero do Congresso, “centrão” é o nome que...
Leia mais

O maior adversário dele é ele mesmo - Blog Veja

20/07/2018 10:39
Ricardo Noblat: Ciro, biruta de aeroporto  Blog do Noblat O maior adversário dele é ele mesmo Mal o bloco dos partidos mais fisiológicos do Congresso bateu o martelo em torno da candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) à presidência da República, Ciro Gomes, que hoje será indicado oficialmente...
Leia mais

Espiritualidade: força transformadora da realidade

20/07/2018 10:34
Espiritualidade afrodescendente: força transformadora da realidade O Arcebispo de Feira de Santana (BA), Dom Zanoni Demettino Castro, participou do XIV Encontro de Pastoral Afro-Americana e do Caribe. Cidade do Vaticano Concluiu-se no dia 19 de julho em Cali, na Colômbia, o XIV Encontro de...
Leia mais

Centrão encerra conversas com Ciro e fecha com Alckmin

20/07/2018 10:27
Centrão encerra conversas com Ciro e fecha com Alckmin Na véspera da convenção que vai oficializar a candidatura de Ciro Gomes (PDT) à Presidência, o Centrão mudou de lado e decidiu fazer aliança com Geraldo Alckmin, pré-candidato do PSDB. A reviravolta aconteceu depois que o PR se juntou ao...
Leia mais

Mello Franco: Alckmin jogou água no chope de Cirto

20/07/2018 10:18
- O Globo Acordo tem potencial para ressuscitar Alckmin, que estava desacreditado. Geraldo Alckmin jogou água no chope de Ciro Gomes. O pedetista abre hoje a temporada das convenções partidárias. Ontem à noite, o tucano estragou os preparativos da festa. Ele venceu a disputa pelo apoio do centrão...
Leia mais

Coluna do Jornalista Arimatéia Azevedo - Portal AZ

20/07/2018 00:22
Cartas marcadas  Charge publicada no www.politicadinamica.com A aparente decisão ‘definitiva’ do governador Wellington Dias, a respeito da chapa majoritária, não durou 24 horas, e, ao que parece, haverá grandes surpresas e modificações, ainda. Provocou ruidosas reações o anúncio do nome de...
Leia mais

Geraldo Alckmin terá mais da metade do tempo de TV

20/07/2018 00:14
Com apoio do Centrão, Alckmin terá mais da metade do tempo de TV Ao todo, os dez partidos que estarão com o tucano somam mais de 62 minutos por dia na televisão e uma fatia de mais de R$ 854 mi do fundo eleitoral Por Guilherme Venaglia A decisão do bloco conhecido como Centrão de apoiar a...
Leia mais

Igreja Missionária Templo do Espírito inicia construção

20/07/2018 00:04
Igreja Missionária Templo do Espírito inicia construção de templo no vale do gavião em Teresina – Piauí HISTÓRIA             Fundada em 2008 em Teresina pelos missionários Josélio Nascimento e Remédios, Isaac Andrade e Claudenir a Igreja...
Leia mais

Acham que o voto vale muito pouco ou não vale nada

19/07/2018 20:09
Themístocles admite estar fora da vice e diz que será candidato a deputado Parlamentar revelou que irá concorrer à reeleição e seu filho será candidato a deputado federal Por Redação do Portal AZ O presidente da Assembleia, Themístocles Filho (MDB), admitiu na tarde desta quinta-feira (19),...
Leia mais

Dom Nosiglia: se repete o massacre dos inocentes

19/07/2018 19:24
Dom Nosiglia: no Mediterrâneo se repete o massacre dos inocentes O arcebispo de Turim, Dom Cesare Nosiglia presidiu a vigília de oração “ Morrer de esperança”, em memória de todos os que perderam a vida atravessando o Mediterrâneo em busca de uma vida melhor. O Bispo condenou os que demonstram...
Leia mais

Coordenador - centrão fechará com Geraldo Alckmin

19/07/2018 19:18
Para Luiz Felipe d'Avila, essas siglas tendem a fechar com o tucano ao analisar que o candidato do PT vai tirar votos de Ciro Gomes (PDT), que também negocia com legendas do bloco Daniel Weterman | O Estado de São Paulo Para o coordenador do programa de governo do presidenciável Geraldo Alckmin...
Leia mais

Coluna do Cláudio Humberto - 19 de julho de 2018

19/07/2018 19:10
CÂMARA PAGA ATÉ PÃO DE QUEIJO PARA DEPUTADO Com salários de R$33.723 e mais R$106.866 para contratar aspones, cada deputado federal ainda pode solicitar reembolso de despesas de R$45 mil mensais, em média, para promoção pessoal e para pagar até pão de queijo. E não é força de expressão: Afonso...
Leia mais

Entorno de Themístocles aponta os donos do veto

19/07/2018 15:23
Coluna do Drº Fenelon Rocha Por www.cidadeverde.com Até há uma semana, era grande a confiança do entorno do presidente da Assembleia, Themistocles Filho (MDB), na indicação do deputado como vice de Wellington Dias (PT) nas eleições deste ano. Os fatos mostraram que a confiança não tinha sentido. E...
Leia mais

€ 18 milhões para 112 projetos ao redor do mundo

19/07/2018 13:51
Bispos italianos destinam € 18 milhões para 112 projetos ao redor do mundo Desde o início de 2018, a Conferência Episcopal Italiana já financiou 584 projetos, num valor total de € 82.868.366. No Brasil, foi beneficiada a Orquestra Criança Cidadã. Cidade do Vaticano Foram divulgados os dados...
Leia mais

William Waack: Admirável mundo novo

19/07/2018 13:43
William Waack: Admirável mundo novo - Jornal O Estado de São Paulo Somos pequenos e diminuímos nas últimas décadas por falta de lideranças com visão É uma pena, e ao mesmo tempo um péssimo sinal, o fato de temas de política externa terem tão pouca importância no debate político eleitoral no...
Leia mais

O povo como problema: Editorial Estadão

19/07/2018 10:40
O povo como problema: Editorial | O Estado de S. Paulo Sempre que o Foro de São Paulo se reúne, recende de seus salões o ranço característico da esquerda autoritária latino-americana. Abundam palavras de ordem contra o “imperialismo americano” e invectivas contra o “neoliberalismo”, como se a...
Leia mais

Teologia da prosperidade: perigos de um cristianismo

19/07/2018 10:32
La Civiltà Cattolica: os perigos de um Evangelho que coloca Deus a nosso serviço Teologia da prosperidade: perigos de um cristianismo sem cruz Os jesuítas Antonio Spadaro e Marcelo Figueroa ilustram o fenômeno – sobre o qual o Papa Francisco se pronunciou reiteradas vezes indicando seus perigos –...
Leia mais

Papa preside Consistório Ordinário Público

19/07/2018 10:29
Papa preside Consistório Ordinário Público Papa Francisco anunciou que a canonização do Beato Nunzio Sulprizio será em 14 de outubro. Cidade do Vaticano Na manhã desta quinta-feira (19/07) o Papa Francisco presidiu no Vaticano um Consistório Ordinário Público em vista da Canonização do Beato...
Leia mais

O tempo de televisão move as articulações do tucano

19/07/2018 10:18
Luiz Carlos Azedo: Alckmin caça com Jefferson - Correio Braziliense O tempo de televisão, muito mais do que programa de governo ou a imagem dos aliados, move as articulações do tucano para montar sua coligação eleitoral A Executiva Nacional do PTB aprovou o apoio ao candidato do PSDB à...
Leia mais

Artigo: Os mais simples e a difícil arte de sobreviver!

19/07/2018 10:13
Por Josenildo Melo                         OS MAIS SIMPLES E A DIFÍCIL ARTE DE SOBREVIVER!             Sempre foi assim? Não,...
Leia mais

Futuro presidente será um político das Antigas

18/07/2018 20:21
FUTURO PRESIDENTE SERÁ UM POLÍTICO DAS ANTIGAS As pesquisas indicam que quase todos os eleitores querem renovação, mas ao serem perguntados sobre intenção de votos, escolhem políticos das antigas. Gente que é ou já ocupou cargo político, como os que se lançaram ao Planalto, à exceção do inviável...
Leia mais

PTB aprova apoio a Alckmin na corrida presidencial

18/07/2018 18:40
PTB aprova apoio a Geraldo Alckmin na corrida presidencial Executiva do partido se reuniu nesta 4ª - Também definiu distribuição de recursos NAOMI MATSUI - Poder360 A Executiva Nacional do PTB aprovou nesta 4ª feira (18.jul.2018) a decisão do partido de apoiar Geraldo Alckmin (PSDB) na...
Leia mais

A propaganda na TV ainda terá um peso decisivo

18/07/2018 17:44
Fabio Alves: Alianças decisivas  O Estado de S.Paulo   A propaganda na TV ainda terá um peso decisivo no pleito presidencial deste ano   Os indicadores econômicos vão dar lugar ao cenário político como o catalisador mais importante para os investidores no curto prazo: a partir desta...
Leia mais

Governador Wellington Descarta Themístocles Filho

18/07/2018 16:02
Coluna do Marcos Melo – www.politicadinamica.com Essa surpresinha Wellington Dias fez questão de guardar para colocar nas mãos dos emedebistas só na véspera das convenções (foto: Jailson Soares | PoliticaDInamica.com) TRAIÇÃO GERAL - WELLINGTON GUARDOU ESSA PROS EMEDEBISTAS FACADA GERAL:...
Leia mais

Congresso desmoralizado: Editorial Estadão

18/07/2018 15:40
Congresso desmoralizado - Jornal O Estado de São Paulo O Congresso Nacional é, por definição, o esteio da democracia representativa. Não seria exagero dizer que é ali que a vontade popular se manifesta de maneira mais clara, e disso deriva sua força no sistema de freios e contrapesos ao qual os...
Leia mais
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

Página inicial

A verdade. O que é a verdade?

02/08/2015 22:00
Por Josenildo...
Leia mais

O Bóson de Higgs: uma descoberta, muitas dúvidas?

02/08/2015 17:47
Por Josenildo Melo Opinião: O Bóson de Higgs: uma descoberta, muitas dúvidas?               ¹O desenvolvimento da ciência moderna e contemporânea urgiu a questão da autonomia. Com essa última questão entende-se que cada ciência possui...
Leia mais

O conhecimento é uma forma saudável de prazer?

02/08/2015 13:04
Artigo: o conhecimento é uma forma saudável de prazer? Por Josenildo Melo               Quem buscar conhecer adentra a um mundo vasto, amplo, de contradições e dualidades; no entanto passa a conhecer algo peculiarmente diferente de tudo o...
Leia mais

Dilma e um agosto infernal

02/08/2015 10:25
                   Por Marcela Mattos e Gabriel Castro, de Brasília   Ainda não está claro se o governo Dilma Rousseff chegou ao fundo do poço ou se a situação vai piorar. Mas boas pistas surgirão no mês que teve início neste...
Leia mais

'Catequese e meios de comunicação social'

01/08/2015 19:54
Artigo: 'Catequese e meios de comunicação social' Dom Jacinto é um Grande Catequista e com certeza intensificará o relacionamento da Igreja com os Meios de Comunicação Social.  Por Josenildo Melo               Catequese é uma “tarefa...
Leia mais

Celso Ming - De mal a pior

01/08/2015 19:03
Celso Ming - De mal a pior   - O Estado de S. Paulo   • O atual rombo das contas públicas tem a ver com a administração equivocada dos quatro últimos anos   As contas públicas estão à beira da derrapada. O buraco do primeiro semestre é o maior desde...
Leia mais

Como encontrar Deus no pós-modernismo?

01/08/2015 18:02
Artigo. Como encontrar Deus no pós-modernismo? Por Josenildo Melo               A idéia de "pós-modernismo" surgiu pela primeira vez no mundo hispânico, na década de 1930, uma geração antes de seu aparecimento na Inglaterra ou nos EUA....
Leia mais

Miguel Reale Júnior - Desesperança ou esperança?

01/08/2015 17:34
sábado, 1 de agosto de 2015 Desesperança ou esperança? No artigo de março (7/3, A2) suscitei, para alguns até com exagero, caber a renúncia de Dilma Rousseff, já então destituída de legitimidade para governar, e a dos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, sujeitos a investigação...
Leia mais

Brasil enfrenta tempestade perfeita na economia

01/08/2015 15:01
  Por Giuliano Guandalini e Bianca Alvarenga   As análises econômicas mais realistas e desapaixonadas indicavam, fazia algum tempo, que a crise na economia brasileira era um acidente prestes a acontecer. Por seis anos seguidos, o governo pisou fundo demais no acelerador dos gastos...
Leia mais

Rádio Pioneira de Teresina

01/08/2015 14:35
https://www.radiopioneira.am.br/
Leia mais
<< 317 | 318 | 319 | 320 | 321

Consumo puxa economia e faz disparar ações do varejo
Por Juliana Machado | Valor Econômico
 
SÃO PAULO - No momento em que a bolsa de valores brasileira ganha impulso e o Ibovespa rompe níveis históricos, ações de companhias de varejo básico e consumo de eletrodomésticos, vestuário e alimentação proporcionam ganhos extraordinários a seus acionistas. Em movimento coerente com a dinâmica de recuperação da economia, puxada pelo consumo, os papéis dessas empresas tiveram neste ano alta muito superior aos 23,76% do Ibovespa. Magazine Luiza, por exemplo, subiu 423%, Guararapes, 130% e Arezzo, 125%. Outros bons exemplos são Hering, Via Varejo, B2W, Renner e Pão de Açúcar.
 
A queda dos juros e a retomada gradual do crescimento econômico compõem a equação que provocou a recente recuperação da bolsa e mantém boas perspectivas para essas ações. Para analistas ouvidos pelo Valor, a retomada beneficia primeiramente empresas que atendem o consumo de menor valor, menos dependente do crédito e que tira proveito da melhora da renda real provocada pela queda da inflação.
 
A leitura é de que muitos consumidores só vão conseguir trocar de carro dentro de um ano e comprar um apartamento em 2019, mas já começam a adquirir eletrodomésticos e roupas.
 
Especialistas consideram que muitos desses papéis de empresas de varejo ainda têm espaço para ganhos. Ricardo Peretti, da Santander Corretora, chama a atenção para o fato de que há algumas empresas com cotações ainda relativamente baratas, como Americanas, Hering e Carrefour, pelas quais o interesse do investidor pode ser maior.
 
Levantamento feito pelo Valor Data mostra que a receita dessas empresas teve uma clara recuperação nos últimos trimestres, desempenho que contrasta com companhias que reagem mais diretamente a investimentos, como bens de capital e siderurgia, ou das incorporadoras, que dependem da capacidade de endividamento de longo prazo do consumidor.
 
Ações ligadas a varejo disparam em meio à retomada do consumo
No momento em que a bolsa de valores brasileira ganha impulso e o Ibovespa rompe níveis históricos, ações de companhias de varejo básico e consumo discricionário - eletrodomésticos, vestuário e alimentação - ganham destaque. O movimento é coerente com a dinâmica de recuperação da economia, que vem sendo puxada pelo consumo, e não pelo investimento, o que faz com que essas empresas continuem no foco dos gestores, mesmo depois de valorizações expressivas nos últimos meses.
 
A queda da taxa de juros e a retomada, ainda que gradual, do crescimento econômico compõem a equação que provocou a recente recuperação da bolsa e mantém boas perspectivas para as ações. Mas, para analistas ouvidos pelo Valor, essa retomada beneficia primeiramente empresas que atendem ao consumo de menor valor, menos dependente do crédito e que tira proveito da melhora da renda real provocada pela queda da inflação.
 
A leitura é de que o consumidor só vai conseguir trocar de carro dentro de um ano e comprar um apartamento em 2019, mas já começa a gastar com eletrodomésticos ou roupas. Comportamento esse que beneficia empresas como Lojas Americanas, Lojas Renner, Natura e Pão de Açúcar, que fazem parte do Ibovespa. Mas também Marisa, Carrefour, Hering, Arezzo, Magazine Luiza e Guararapes, dona da Riachuelo.
 
Todas essas ações acumulam forte alta este ano, superando, inclusive, o Ibovespa, com valorização de 23,76% no período. O caso mais impressionante é o de Magazine Luiza, cuja ação avançou 422,6%. Entre outros exemplos emblemáticos, estão Guararapes, com alta de 130%, e Arezzo, cujo papel já subiu 124,6%.
 
Ainda assim, para especialistas, muitas dessas ações ainda têm espaço para ganhos adicionais. Em relatório de julho deste ano, o Bradesco BBI apontava trajetória crescente para a Magazine Luiza diante da perspectiva de resultados ainda fortes, ganho de participação de mercado e de rentabilidade.
 
Já Ricardo Peretti, da Santander Corretora, chama a atenção para o fato de que há algumas empresas relativamente mais atrasadas, pelas quais o interesse do investidor pode ser maior. Ele destaca Lojas Americanas, que acumula alta de 24,3% no ano - pouco acima do Ibovespa -, Hering (+98%) e Carrefour, que desde a estreia na bolsa, em 20 de julho, sobe 11,41%, abaixo do índice (14,78%).
 
Levantamento feito pelo Valor Data mostra que a receita líquida somada de 13 empresas ligadas ao varejo teve uma clara recuperação ao longos dos últimos trimestres, desempenho que contrasta com o de companhias que reagem mais diretamente a investimentos, de setores como bens de capital e siderurgia, ou das incorporadoras, que dependem da capacidade de endividamento de longo prazo do consumidor.
 
O bom desempenho está refletido nos dados divulgados ontem pelo IBGE, que confirmam que a recuperação do varejo observada no segundo trimestre tem continuidade. Em julho, as vendas ficaram 1,7% acima da média do segundo trimestre. Isso reforça que o setor continua sendo a principal força motriz para a retomada da atividade brasileira na segunda metade do ano, assim como aconteceu no semestre passado.
 
"Companhias e setores mais conectados com a economia, como consumo discricionário e bens de capital, podem contar com revisões para cima das estimativas de lucro por ação conforme o crescimento econômico seja incorporado aos preços", dizem os analistas do Bank of America Merrill Lynch (BofA) Felipe Hirai e Nicole Inui, em relatório. Eles explicam que a expectativa é que haja crescimento das receitas para o setor de varejo em 2017 e 2018, enquanto as vendas no conceito mesmas lojas, isto é, unidades abertas há pelo menos um ano, também devem registrar expansão de 6,2% este ano e 6,4% em 2018, ante 2,3% registrados em 2016.
 
Peretti, da Santander, confirma que o cenário macroeconômico - inflação baixa, juros em queda, crescimento do salário médio e redução do endividamento das famílias - dá suporte à perspectiva positiva para o consumo e para a própria atividade. "Varejistas são as primeiras a responder", afirma o analista. "Essa dinâmica é importante para todos os segmentos da economia, mas o tíquete médio é um pouco menor nas empresas de varejo, o que significa que a necessidade de crédito do setor é menor do que para os demais."
 
Para Ivo Chermont, economista-chefe da gestora Quantitas, o menor endividamento das famílias deve colaborar ainda mais para a renda disponível para gastos básicos e discricionários. "E isso vai melhorando à medida que os juros forem caindo", diz.
 
A ata do Copom confirmou que a Selic vai continuar em queda, ainda que em um ritmo mais lento. E a maior parte dos economistas acredita que a taxa possa fechar o ano em 7%, abaixo da mínima histórica, de 7,25%.
 
Analistas têm citado as incertezas políticas, que ganham intensidade com a aproximação da eleição presidencial, como um elemento de risco para a continuidade desse cenário favorável para atividade e, consequentemente, para o mercado de ações. Somente com a confirmação da continuidade da agenda de reformas depois de 2018 é que o investimento deve ganhar tração. "Para o crescimento [da economia e das empresas] ser sustentável, vale frisar que precisamos que os investimentos aumentem também. Para isso, além da menor taxa de juros, é fundamental a reorganização fiscal do Brasil. Se não conseguirmos isso, podemos voltar a andar para trás", pondera Chermont prisão, o que não tem respaldo na Constituição. O Senado tem que deliberar sobre isso — disse Gilmar, acrescentando: — Temos que evitar o populismo constitucional, institucional. Devemos nos balizar pela Constituição. Quando começamos a reescrever a Constituição, é preocupaPnte.A traição original- Editorial: O Estado de S. PauloMadri intervém e põe nas urnas destino da Catalunha – Editorial: Valor EconômicoFernando Henrique Cardoso*: Hora de decidirGoverno mostrou que não está imobilizado – Editorial: Valor Eco

 

2018-03-29-PHOTO-00000066

 
Nomeação infeliz – Editorial | Folha de S. Paulo
Em episódio que marcou os estertores do governo petista, a ex-presidente Dilma Rousseff anunciou a escolha de seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, para a chefia da Casa Civil.
 
Como ficou mais que evidente à época, tratava-se de manobra que tinha como um de seus objetivos garantir foro privilegiado ao ministro recém-nomeado, em cujo encalço estava a força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba.
 
Eis que agora o Palácio do Planalto, sob o comando de Michel Temer (PMDB), decide conceder status ministerial a Moreira Franco, peemedebista citado ao menos 34 vezes em delação premiada de um ex-dirigente da construtora Odebrecht.
 
Há que se guardar, por óbvio, as proporções entre as circunstâncias, os personagens envolvidos e as consequências esperadas em um e outro caso. Mas o eventual sentido administrativo da medida de Temer permanece muito menos visível que o benefício concedido ao correligionário.
 
Moreira Franco é um dos auxiliares mais próximos ao presidente. Ocupava o cargo, estratégico para a política econômica, de secretário-executivo do Programa de Parceria em Investimentos (PPI), ao qual cabe desfazer os gargalos no setor de infraestrutura.
 
Assumirá a recriada Secretaria-Geral da Presidência, à qual estará subordinado o mesmo PPI, além das estruturas de comunicação, administração e cerimonial.
 
Sobre ele pesa a suspeita —que evidentemente ainda precisaria ser corroborada por provas— de ter auferido propinas, sob o codinome "Angorá", para fazer avançarem os interesses da empreiteira quando era ministro da Aviação Civil do governo Dilma.
 
Boas razões embasam o princípio do foro privilegiado —pelo qual ministros de Estado, entre outras autoridades de primeiro escalão, só podem ser processados e julgados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Trata-se de uma proteção contra a litigância de má-fé por parte de inimigos políticos.
 
A garantia constitucional, entretanto, não pode se converter em atalho para a impunidade, o que muitas vezes ocorre devido ao acúmulo de processos que se arrastam no STF.
 
Como revelou uma pesquisa efetuada por este jornal, em novembro passado havia nada menos que 362 inquéritos e 84 ações envolvendo profissionais da política na corte.
 
Por ineficiência geral da Justiça e chicanas jurídicas dos interessados, o foro é visto com desconfiança pela opinião pública. Quaisquer que tenham sido seus propósitos, a nomeação infeliz anunciada por Michel Temer acaba por contribuir para essa imagem nega
 
 

Resultado de imagem para assine o jornal diario do povo

Celso Ming: São as incertezas, senhores
- O Estado de S.Paulo
 
O País está imerso em indefinições e isso ameaça, outra vez, empacar a vida econômica.
 
Uma dessas indefinições tem a ver com o tratamento a ser dado ao rombo crescente da Previdência Social (veja gráfico ao lado). Até quem pensa com apenas dois neurônios sabe que à frente há um abismo e, depois do abismo, o imponderável.
 
Ou sai imediatamente a reforma ou ficará mais perto o dia em que o Brasil inteiro se transformará num gigantesco Rio de Janeiro, onde os salários estão atrasados, o 13.º deste ano ficará para quando der e as aposentadorias, se chegarem, chegarão no pinga-pinga – e, obviamente, num cenário em que a bandidagem ganhará mais campo aberto.
 
O astral da economia tinha melhorado porque, embora lenta e insegura, a recuperação vinha dando bons sinais. Mas essa recuperação da confiança se baseia numa aposta: na de que pelo menos alguma coisa da reforma da Previdência viria antes das eleições. Não seria a virada definitiva do jogo hoje perdedor; seria apenas o primeiro passo de muitos que ainda terão de ser dados para reequilibrar as finanças da Previdência Social.
 
E foi com base nessa aposta que os investimentos reapareceram, que a Bolsa avançou em setembro e outubro e que outras aplicações de risco passaram a ser consideradas viáveis nos mercados, não só no financeiro.
 
Mas bastou que o presidente da República admitisse publicamente que a reforma poderia ficar para depois, para que fosse colocado em dúvida o sucesso da aposta sobre a qual se apoiou boa parte da retomada da confiança e para que o azedume se reinstalasse em todos os setores da economia.
 
Ainda há aqueles que não acreditam na aritmética. São os que se aferram a pretensos direitos adquiridos, aqueles para os quais pagamento de aposentadoria é cláusula pétrea. Não é, senhoras e senhores. Não há mais milagres da multiplicação dos pães e dos peixes. É a receita que define a despesa, e não o contrário. Nas condições atuais, não há pagamento futuro garantido de aposentadorias e pensões.
 
Quanto ao projeto de reforma da Previdência propriamente dita, estamos diante de duas hipóteses. Ou se aprova uma parcela das propostas em discussão, talvez apenas a imposição de idade mínima para aposentadoria; ou não se aprova nada. No primeiro caso, será um passo insuficiente para devolver a confiança no futuro das contas públicas, mas, pelo menos, será um passo na direção correta.
 
Se a reforma for rejeitada ou se o projeto continuar indefinidamente encalhado em Brasília, o risco de novo desastre será muito alto. O País ficará sujeito a aumento de impostos ou, simplesmente, ao calote da dívida pública, algo que, antes mesmo das agências de classificação de risco, o mercado financeiro se encarregará de prever.
 
Para quem tem um dinheiro aplicado no mercado financeiro, este cenário confuso imporá novas incertezas. A derrubada da inflação e dos juros empurra o aplicador para as opções de risco e, no entanto, diante desse céu exposto a turbulências, como se conformar com retorno cada vez mais baixo das aplicações financeiras?
 
Josenildo Nascimento Melo - Bacharel em Serviço Social - CRESS PI 1826 22ª Região
 
Resultado de imagem para companhia de jesus
 
Josenildo Nascimento Melo - Jornalista MTB DRT PI 01958 - Credenciado Vaticanista

 

 

PARCERIA ESTRATÉGICA

Resultado de imagem para teresina fm

 

 

Resultado de imagem para domradio.de

 



Contato

Jornalista Josenildo Melo

Teresina - Piauí - Brazil

WhatsApp : 86 99513 2539


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!