Bolsonaro - essa é última chance de mudar o Brasil

15/08/2018 01:17

ELEIÇÕES 2018

 

Bolsonaro diz que essa é última chance de mudar o Brasil e cita missão de Deus

Por Folha Press

Em evento do PSL realizado na manhã desta terça-feira (14), o candidato da legenda ao Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro, afirmou que esta é a última chance de mudar o Brasil. Ele afirma ainda que sabe que pulou em um caldeirão fervente ao se lançar candidato, mas diz que esta é uma missão de Deus. 

"Nós todos aqui não teremos outra chance de mudar o Brasil. No mínimo aqui 30% é mais competente do que eu, mas nenhum é mais popular do que eu. Então nós temos que aproveitar esse momento", disse em referência a seus adversários na corrida presidencial.

O deputado disse que pelo cenário atual para ele seria mais cômodo passar o tempo com sua mulher e com sua filha na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, bairro onde vive e ao qual se referiu como maravilhoso.

"Não suportaremos mais um ciclo de PT e PSDB", afirmou. "Imagine, com todo o respeito, eu saindo fora? Alguém pode até ter argumento, mas a gente vai ficar com quem? Vamos em frente. Essa é uma missão de Deus para cada um de nós e juntos nós podemos vencer nosso inimigo", disse.

Depois de registrar presença no plenário da Câmara dos Deputados, Bolsonaro foi a uma churrascaria em Brasília, onde seu partido realizou um evento sobre estratégias em redes sociais. Na sequência, ele viajou a São Paulo para participar da sabatina de presidenciáveis promovida pela TV Record.

Resultado de imagem para folhapress

THAIS BILENKY | FOLHAPRESS

Em programa de governo, Bolsonaro liga Foro de SP a violência no Brasil

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em programa de governo, o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) propõe que "policiais sejam protegidos por uma retaguarda jurídica garantida pelo Estado através do excludente de ilicitude", ou legítima defesa."Enquanto a esquerda está preocupada com as mortes associadas a ações policiais, segundo a Ordem dos Policiais do Brasil (OPB), foram mortos 493 policiais em 2016!

Em 2017 esse total subiu para 552 e, infelizmente, tudo indica que teremos ainda mais policiais mortos em 2018", apontou o candidato no documento divulgado nesta terça-feira (14). "São heróis nacionais que tombaram e foram esquecidos pelos atuais governantes nesta guerra do Brasil! Um dos compromissos será lembrar o nome de cada um desses guerreiros! Suas famílias serão homenageadas e cada um desses heróis terá seu nome gravado no Panteão da Pátria e da Liberdade!"Segundo Bolsonaro, policiais "precisam ter certeza de que, no exercício de sua atividade profissional, serão protegidos por uma retaguarda jurídica" -a excludente de ilicitude.

"Nós brasileiros precisamos garantir e reconhecer que a vida de um policial vale muito e seu trabalho será lembrado por todos nós! Pela nação brasileira!", sustentou.O candidato do PSL sugere que a esquerda e o Foro de São Paulo sejam responsáveis pelo aumento da violência no país. "Coincidentemente, onde participantes do Foro de SP governam, sobe a criminalidade", apontou o programa de governo. "Mais de 1 milhão de brasileiros foram assassinados desde a 1ª reunião do Foro de São Paulo." É por isso que Bolsonaro promete no documento "enfrentar o viés totalitário do Foro de São Paulo, que desde 1990 tem enfraquecido nossas instituições democráticas".

Para ele, "dentre instituições, grupos, pessoas ou atividades, que tiveram sua imagem atacada pela doutrinação ideológica de esquerda, certamente as Forças Armadas do Brasil estão entre as que mais sofreram. Houve clara intenção de desconstruir a imagem desta espinha dorsal da nação, afinal, elas são o último obstáculo para o socialismo".Em defesa do porte de arma de fogo pela população civil, Bolsonaro argumentou que países onde há maior flexibilização o índice de homicídios é menor que no Brasil. Ele cita, porém, apenas países desenvolvidos como Alemanha, EUA e Finlândia, entre outros.Então, compara com países latino-americanos como Chile, Uruguai e Paraguai.

"Um tratamento estatístico mostrará uma correlação inversa entre armas nos lares e homicídios!", exclamou. "Já a Venezuela, que aumentou a restrição às armas da população civil, está com o dobro de homicídios do Brasil: quase 60 por 100 mil. Com 31 milhões de habitantes, matam 17 mil por ano! Seria como 120 mil homicídios no Brasil por ano!"

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!