Buscas em gabinetes de congressistas do PP

24/04/2018 13:05

Lava Jato faz buscas em gabinetes de congressistas do PP

Eduardo da Fonte e Ciro Nogueira são alvos

Operação foi deflagrada - Poder 360

A Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão no Congresso nesta 3ª feira (24.abr.2018). Os mandados foram autorizados pelo ministro STF (Supremo Tribunal Federal), Edson Fachin, relator da Lava Jato no Tribunal. A operação foi deflagrada em conjunto com a PGR (Procuradoria-Geral da República). O caso corre em sigilo.

Os agentes cumprem mandados de busca e apreensão nos gabinetes e também nos apartamentos funcionais do deputado Eduardo da Fonte (PP-PE) e do senador e presidente do PP Ciro Nogueira (PI).

A PF também cumpre 1 mandado de prisão contra o ex-deputado Márcio Junqueira, de Roraima.

Os 3 são investigados em 1 inquérito que apura tentativa de obstrução de Justiça. As investigações apuram uma suposta tentativa do deputado Eduardo da Fonte e do senador Ciro Nogueira de comprar o silêncio de 1 ex-assessor do senador que vem colaborando com a Justiça.

Segundo a PGR, o ex-deputado Márcio Junqueira era o intermediário no esquema. O ex-deputado teria ameaçado o ex-assessor a mudar o teor do depoimento que incriminaria os alvos da operação.

No total, a PF cumpre ainda 8 mandados de busca e apreensão, sendo todos eles ligados aos 3 alvos da operação realizada nesta 3ª feira.

Segundo a PGR, além dos gabinetes ocupados pelos parlamentares no Congresso Nacional e dos respectivos apartamentos funcionais, em Brasília, foram realizadas buscas em endereços residenciais na capital federal, em Teresina (PI), Recife (PE) e Boa Vista (RR).

OUTRO LADO

O deputado Eduardo da Fonte disse, em nota, que está a à disposição da Justiça para esclarecimentos. “Confiamos nela e em Deus”.

A defesa de Ciro Nogueira disse, por meio de nota, que acompanhou as buscas da PF na casa e no gabinete do senador. Leia a íntegra da nota do advogado de defesa de Ciro:

“A Defesa do Senador Ciro Nogueira está acompanhando as buscas que estão sendo realizadas na residência e no gabinete do Senador. Esclarece a defesa que o Senador se encontra fora do Brasil, não sabendo em qual país e que não foi possível ainda falar com ele. Desconhece a defesa, até o presente momento, as razões da determinação judicial do Ministro Fachin. É certo que o Senador sempre se colocou à disposição do Poder Judiciário, prestando depoimentos sempre que necessário e, inclusive, já foi alvo de busca e apreensão. Continuará a agir o Senador como o principal interessado no esclarecimento dos fatos. No momento, a defesa aguarda contato com o Senador para poder ter o necessário instrumento de poderes que dará direito ao acesso aos fundamentos da medida de busca e apreensão.”

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!