Candidatura de Meirelles derrubou nota do Brasil

25/02/2018 08:59
25 DE FEVEREIRO DE 2018 - Coluna do Cláudio Humberto
Resultado de imagem para capa do jornal do brasil dia 25 de fevereiro de 2018
Novo Jornal do Brasil impresso já está nas bancas do Rio de Janeiro
 
CANDIDATURA DE MEIRELLES DERRUBOU NOTA DO BRASIL
Não foi apenas o adiamento da reforma da Previdência que derrubou a nota do Brasil pela Fitch, agência de classificação de risco. Também contribuiu na avaliação negativa a declaração do ministro Henrique Meirelles (Fazenda) admitindo pela primeira vez que quer disputar a Presidência. Sua candidatura é má notícia porque ele é considerado um fiador da economia, e isso o forçaria a deixar o cargo em abril.
   
ELE SÓ PENSA NAQUILO
O ministro da Fazenda afirmou que “contempla” uma candidatura a presidente, mas não é apenas isso. Ele só pensa no assunto.
   
CAMPANHA ESTRUTURADA
Henrique Meirelles é o único pré-candidato a agir como candidato oficial. Ao contrário dos demais, ele já tenta contratar um marqueteiro.
   
JOSÉ MÚCIO NA VICE
Um dos sonhos de Henrique Meirelles é contar como vice com o amigo nordestino José Múcio, ministro do Tribunal de Contas da União.
   
MEIRELLES JÁ VIU ISSO
O Brasil teve nota BB- da Fitch foi em 2004, no governo Lula, mas em viés de alta de B+. Meirelles era o presidente do Banco Central.
   
DEPUTADOS MAL VOLTARAM E JÁ GASTARAM R$9,7 MILHÕES
Desde o dia 1º de janeiro os deputados federais torraram quase R$ 10 milhões (R$9,69 milhões) com ressarcimentos do “cotão parlamentar”, que faz o reembolso das despesas dos parlamentares. O Congresso teve recesso oficial entre 20 de dezembro e 8 de fevereiro, mais 12 dias de folga de Carnaval. Retomaram os trabalhos só no dia 19 de fevereiro. Senadores gastaram R$ 353.619,41 no mesmo período.
   
ATÉ FÉRIAS CUSTAM CARO
Nos 60 dias de 2018, quando o Congresso não funcionou, deputados e senadores tiveram R$10,1 milhões ressarcidos com o “cotão”.
   
VOCÊ É QUEM BANCA
Somente no ano passado, a “cota parlamentar” usou R$ 242,2 milhões dos contribuintes para ressarcir as despesas de suas excelências.
   
DESDE 2015
Eleitos em 2014, deputados (e mais os senadores) usaram R$ 727,7 milhões do “cotão parlamentar” nos últimos 37 meses.
   
PRIORIDADE DE MENOS
O presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) vai reunir líderes da Câmara para debate sobre segurança pública. Apesar da intervenção, o tema não é prioridade: a reunião será na terça para manter a folga da segunda.
   
R$385 BILHÕES EM IMPOSTOS
O Impostômetro, que contabiliza impostos pagos pelo contribuinte brasileiro, ultrapassou neste sábado a marca de R$ 385 bilhões pagos apenas em 2018. Suficiente para comprar 391 mil Porsches Panamera.
   
NÚMEROS DO SUFOCO
Não é fácil a vida de quem cuida das contas do governo estadual do Rio de Janeiro: todos os meses precisa juntar uma montanha de dinheiro para pagar salários a 456.100 servidores, ativos e inativos.
   
UTILIDADE
Um grupo de grandes empresas americanas – Lockheed Martin, Boeing, SpaceX e Vector – visitou o Brasil em dezembro para negociar o aluguel do Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão. Planejam lançar foguetes e satélites ao espaço na altura do equador.
   
INTERVENÇÃO EM DEBATE
A maior rejeição à ideia de intervenção federal na segurança pública no seu próprio município é de alunos universitários: 36,4% não querem o Exército em suas cidades. O levantamento é do Paraná Pesquisa.
   
BOAS NOTÍCIAS
O transporte de cargas utilizando rios aumentou 31,5% no ano passado em relação a 2016. Foram mais de 37 milhões de toneladas, segundo o anuário da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).
   
HORA DA EXTINÇÃO
Dependendo do titular, cabia ao Ministério da Justiça manter relações institucionais com os demais poderes, incluindo a articulação política. Isso já não existe. E o que sobra de bom vai para o Ministério da Segurança Pública. A pasta da Justiça perdeu sentido e importância.
   
EVITE GALO NA CABEÇA
Brasília sediará, em abril, o Airport Infra Expo 2018, grande evento de infraestrutura aeroportuária. Roga-se usar capacete ao transitar no aeroporto da capital, onde vez por outra desaba um pedaço do teto.
   
PENSANDO BEM…
…dor maior que a derrota por 7x1 para a Alemanha é o Brasil perder para a Argentina no quesito corrupção.
 
   

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!