Coluna do Jornalista Arimatéia Azevedo - Portal AZ

20/07/2018 00:22

Cartas marcadas 

O QUE NÃO MATA, FORTALECE

Charge publicada no www.politicadinamica.com

A aparente decisão ‘definitiva’ do governador Wellington Dias, a respeito da chapa majoritária, não durou 24 horas, e, ao que parece, haverá grandes surpresas e modificações, ainda. Provocou ruidosas reações o anúncio do nome de Regina Souza para a vaga de vice, ao invés de Themistocles Filho porque a despeito de a eterna matriarca do Partido dos Trabalhadores, ter quase nulo cacife natural, e, não fosse o fato de ter sido secretária do governador nas gestões anteriores, seria ilustre desconhecida de todos. Votos ela não tem, pois, nunca foi testada. Ganha a vaga por ser da estrita confiança do companheiro mais ilustre do partido, que  já a alojou no mandato de senador. Respeitada no partido, Regina, entretanto, nunca deixou de ser apenas um nome a mais no universo dos Sem-Voto, passando a  carregar também consigo o fato de ser reconhecidamente uma senadora apagada, que chegou a ser ridicularizada várias vezes por suas posturas, discursos e intervenções no Senado. Nada a ver a condição de ser mulher, nordestina, de origem humilde, como podem arrotar seus defensores.  Vê-se,  hoje, a reação natural à sua indicação à vaga de vice, de olho no governo no longínquo 2022, sem estar preparada para tanto. Se o nome de Regina dá ao governador a  certeza de ter um sucessor sob seu comando total, leal, diferente de Wilson Martins, em 2010, que o enfrentou e disputou o governo quatro anos depois, é preciso entender que o eleitor não entenda assim. Portanto, por mais que se imagine ser essa uma chapa imbatível, as eleições de outubro vindouro ainda não são consideradas um jogo de cartas marcadas. É possível que se vá dizer que Wellington nunca prometeu para Margarete continuar; para Themistocles ou para Seu João indicar um protegido. Isso é verdade.  Mas ele alimentou por meses um assunto tão sério que pode lhe criar dissabores, inclusive provocar debandada em tão desunida base aliada.

Wellington Dias quer Regina na vice para evitar  os episódios vividos em 2010 quando não desejava Wilson Martins no governo

Destino

Ao invés de votos, Marcelo Castro como candidato ao Senado na chapa de Wellington Dias vai começar a ver fantasmas.
 Aliás, tem um que acompanha seus passos desde 2011. 
Que pode atrapalhar, e muito, tal trajetória. 

O imponderável

Nunca Mão Santa foi tanto citado, como ontem. Nada a ver com a pessoa do prefeito parnaibano. Mas o seu feito em 1994, quando, sozinho, aparentemente desacreditado, ganhou a eleição do então poderoso esquema dominante que lançara Átila Lira. 
O ‘Mão Santa’ dessa campanha eleitoral pode estar corporificado em Dr Pessoa.

Guarda municipal

Só agora se sabe que as cidades de José de Freitas, Altos e Demerval Lobão já tem a suas guardas municipais. 
Porque foram publicados no Diário Oficial termos de doações de armas pela Secretaria de Segurança para as guardas desses municípios. 
Só é preciso lembrar que guarda municipal só é criada em cidade com mais de 200 mil habitantes.

Arma pelo voto

O curioso é que entre os policiais civis do Piauí há recorrente queixa que na Secretaria de Segurança não existe arma sequer para o pessoal aprovado no concurso. 
Não se vá dizer que o brado é ‘uma arma pelo voto’, só porque Fábio Abreu, ex-secretário de Segurança,  é votado pelos prefeitos desses municípios. 

Até tu Brutus!?

Dentro do MDB, embora as figuras mais importantes não digam, ainda, ficou aquela sensação de que Themistocles Filho foi passado para trás por Marcelo Castro. 
Que ficou o tempo todo dizendo publicamente que apoiava o presidente da Assembleia Legislativa para vice, quando na verdade queria o lugar ou a vaga de senador.

Para meditação

Tempo de meditar, principalmente os políticos, sobre essa máxima de esopo :
“Embora o hipócrita viva das aparências, paradoxalmente, são exatamente as aparências que acabarão por revelar o tamanho de sua hipocrisia”.

Novo, é?

Andaram postando no whattsap que Pablo Santos, deputado estadual, seria o novo para, no lugar de Regina, compor a chapa de Wellington Dias. 
Tem-se a impressão que de novo os jovens filhos que assumiram os mandatos dos pais não têm nada. 
Agem e pensam com mais apetite sobre cargos, obras, enfim, as benesses que o poder público pode propiciar.

MDB Cururu

Essa pernada que o índio deu em Themistin dá a exata dimensão do quanto os partidos e seus líderes são humilhados. 
Aliás, já estão chamando o MDB do Piauí de cururu. Quanto mais é enxotado por Wellington Dias, mais quer voltar pro governo.

Boca para fora

Basta ver oficio (uma espécie de abaixo assinado) assinado por Marcelo Castro e pelos deputados estaduais reafirmando que o que interessa ao partido é a vaga de vice. E cita que o indicado é Themistocles Filho. 
Como se diz lá por Esperantina, isso aí é só da ‘boca para fora’. 

Ping-Pong

A outra reunião

Murilo procura o bem informado Patró Landim para saber que posição o MDB tomará sobre a capoeira que Wellington Dias deu em Themistocles Filho, preterindo-o na vaga de vice. 
Murilo: “O MDB resolveu o que?”
Patro: “Resolveu fazer o que o PT faz...”
Murilo: “O que o PT faz?”
Patro: “Resolveu fazer uma reunião para marcar outra para amanha”.

Expressas

Depois de constatar a carência de medicamentos no HUT, o juiz Aderson Antônio Brito Nogueira determinou que a Fundação Municipal de Saúde faça o fornecimento dos insumos no prazo de 30 dias.

O Ministério Público e OAB-PI ajuizaram uma ação civil para bloquear a conta única do Estado em favor dos hospitais que atendem pelo Iaspi Saúde e Plamta. A ação cobra o sequestro de R$ 40 milhões.

A Prefeitura de Teresina registrou no mês de junho um crescimento de 52,2% na quantidade de notificações por descarte irregular de lixo.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!