Os puritanos buscavam tudo de acordo com a Bíblia

04/12/2018 22:57

Aprendendo com os Puritanos

Resultado de imagem para livro mais vendido sobre os puritanos

O surgimento da Reforma Protestante se deu em 1517, por um monge alemão chamado Martinho Lutero, que publicou as 95 Teses; um documento queixando-se contra 95 coisas que achava que estavam erradas na Igreja Católica. Esse ato teve consequências muito maiores do que se podia imaginar. A reforma Protestante foi um movimento para reformar as doutrinas da Igreja, que levou à divisão entre a Igreja Católica e as igrejas protestantes. A partir da Reforma Protestante, surgiu uma grande variedade de igrejas e filosofias diferentes. A base do movimento protestante é que toda doutrina cristã deve ser fundamentada na Bíblia.

O movimento da reforma tirou muito dos dogmas e credos católicos inserido na igreja, mesmo que uma boa parte das doutrinas dogmáticas errôneas ainda permaneçam em algumas das religiões protestantes; não podemos negar que a reforma, foi a mão de Deus para libertar o povo. O movimento da reforma foi o primeiro passo, mas dentro do próprio movimento da reforma, surgiu um grupo que muito se destacou; eram homens que de fato eram separados do mundo, da política e buscavam a Deus com todo seu coração, esses homens eram os puritanos.

Quem foram os puritanos?

Na história da igreja encontramos o que é comumente chamado de “fenômeno da segunda geração.” Quando acontece na história um grande avivamento de Deus, o perigo é que a segunda geração após esse movimento se torne muito descansada, de forma que não leve em consideração o reavivamento que houve na geração anterior. No século XVI houve um grande avivamento, porém a geração após esse movimento não valorizou o que houvera ocorrido na geração anterior. O Movimento dos puritanos nada mais foi do que uma reação contraria a forma ao qual a segunda geração estava seguindo, não valorizando a reforma. Então esse movimento de reação foi conhecido como “Os puritanos”, porém os puritanos foram ainda além dos reformadores, pois eles abraçaram todas as doutrinas da reforma, eram por tanto reformados; pessoas como João Calvino tiveram grande foco em doutrinas como na justificação pela fé e santificação, todavia os puritanos construindo sobre essas reformas estabelecidas pelos reformadores, começaram a pegar todas essas doutrinas e começaram a aplicar a cada área da vida, especialmente eles queriam purificar a família, e a igreja, fazendo isso, por extensão purificariam toda a Inglaterra.

O Puritanismo se desenvolveu a partir de três necessidades:

1º A necessidade da saudável pregação e ensino bíblico.

2º A necessidade da piedade pessoal que acompanha a saudável pregação e ensinamento bíblico.

3º A necessidade da restauração da pureza no culto público.

Então o movimento puritano se iniciou na segunda metade do século XVI até o começo do século XVIII. Desde ponto em diante aquele movimento formal parou, veja que a literatura dos puritanos eram as mais poderosas em relação a qualquer outra literatura outrora publicada, e justamente porque seus livros eram os mais profundos espiritualmente e biblicamente práticos. Os seus escritos foram frequentemente publicados especialmente a partir de 1950 como uma ressurgência da literatura puritana. Somente nos últimos cinquenta anos mais de 700 livros dos Puritanos foram republicados por mais de 150 diferentes autores espalhados pelo mundo.

Influência dos Puritanos para nós

No aspecto pessoal, quando lemos livros dos puritanos eles nos ajudam a moldar nossa vida de acordo com as escrituras, eles eram pessoas do “Livro Vivo” eles chamavam a bíblia de biblioteca do Espirito Santo, eles criam que Deus usava a bíblia para transformar a vida das pessoas, de modo que eles ensinavam seus filhos a lerem e ainda pequenos eles já tinham conhecimento das sagradas escrituras, eles ensinavam até mesmo o alfabeto usando a bíblia, por exemplo, eles falavam a letra “A” e ensinavam que Adão foi o primeiro homem a pecar, se eles falassem da letra “Z” eles diriam, Zaquel subiu na arvore para ver Jesus o filho de Deus. Os puritanos amavam a bíblia, ensinavam a bíblia, estudavam a bíblia e acima de tudo isso, eles viviam a bíblia.

Os puritanos buscavam fazer absolutamente tudo de acordo com a bíblia, se a eles se perguntava como deveria ser como esposo, então eles iam para a bíblia buscar a resposta, em meio a uma indagação como por exemplo; como ser um bom filho? Eles iam para a bíblia. Eles eram desejosos de Deus, eles sempre estavam dispostos a mudar tudo de sua vida se descobrissem que suas vidas não estavam de acordo com as escrituras.

Quando foi a última vez que você leu algo na bíblia ou em algum livro que te fez mudar? Que fez que você se negasse, será que as pessoas  de hoje estão de fato tendo suas vidas moldadas pela bíblia?

Os puritanos, não eram homens intelectuais, mas homens cheio do Espirito Santo, viviam debaixo de intensas orações, eles nos deixaram um grande ensinamento, orar sem sessar, sabemos que cada puritano tinha seu quarto de oração, onde dedicavam muitas horas de cada dia e as vezes o dia praticamente inteiro em orações, eles tinham um tempo para devoção pessoal, além disso elas também cultivavam a oração ao longo do dia, oração em espirito, quando estavam trabalhando, quando estavam ainda de chapéu na cabeça, de olhos abertos, seus corações era chama viva, sabemos pela história que eles oravam antes de cada atividade do dia. Certa feita se perguntaram o que significa orar sem sessar, tinha uma jovem ali, e pastor fez a pergunta para aquela jovem puritana, o que significa orar sem sessar? Então ela responde, hoje de manhã quando eu acordei e me vesti, eu pedi a Deus que eu estivesse vestida com a justiça de Cristo, e quando eu estava tirando a poeira dos móveis de casa, então eu orei para que Deus tirasse toda poeira da minha alma e me livrasse do meu pecado, e quando eu coloquei essa comida e essa bebida para você, eu orei para que Jesus fosse minha comida e minha bebida até a vida eterna, então senhor, eu vou orando assim durante o meu dia. Veja que coisa maravilhosa, os puritanos de fato respirava esse espirito de oração, estavam em constante oração com o pai celeste, eles não temiam enfrentar as adversidades, as perseguições, afinal eles eram como os homens que de fato temiam a Deus e cria na bíblia tal como ela é! Nos dias de hoje o que vemos são grupos que se denominam crentes, porém não creem na bíblia, não buscam santificar-se, ser separado para Deus, não tem uma vida de oração, e nunca é convencido por alguém de credo diferente em uma conversa, elas apenas decidem o que devem crê, elas leem a bíblia, então elas pegam apenas as coisas que afirmam aquilo que elas pensam, e então quando elas leem algo que contrariem o que elas pensam elas simplesmente deixam de lado, negligenciando a verdade, então suas vidas não são moldadas pelas escrituras, fazendo-se assim o oposto do Puritanos, pois os puritanos creem que a bíblia deve sempre está aberta diante de nós como uma regra para a vida, nós não devemos crer em mais nada além daquilo que ela ensina.

Os puritanos criam em Atos 6, onde os ministros deveriam se dedicar a oração e a pregação, um certo ministro puritano disse, eu só tenho duas tarefas, orar e pregar, e nessa hora, e nessa proposta em primeiro lugar tenho que ser um homem de oração.

Um puritano nunca estava satisfeito com uma oração rasa, eles tinham que fazer grandes e fervorosas orações, os puritanos eram especialistas em meditar nas orações, nas leituras, nas pregações e eles tinham o que muitos não tem, “uma vida em Deus”.

Os puritanos nos deixaram também outro grande ensinamento que foi a maneira pela qual devemos repreender o orgulho e a soberba do homem caído, os puritanos tinham “ódio” do orgulho porque eles encontraram na bíblia o fato de que Deus odeia o orgulho, um deles disse certa feita; o orgulho foi a primeira camisa que o homem vestiu após sua queda no jardim do Éden, e o orgulho expôs nossa nudez e essa também é a última camisa em que tiramos na hora da morte, e eles afirmavam que o orgulho é singular entre todos os pecados da humanidade. A maioria dos pecados nos afasta de Deus, porém o orgulho nos coloca contra Deus, de modo que o orgulho muitas vezes eleva nosso coração acima de Deus a ponto de desentronizarmos a Deus e nos colocar dentro do trono de Deus. Jonathan Edwards, um dos grandes puritanos disse; olhando para o meu próprio coração, eu vejo um poço infinito, sem fundo do orgulho, de modo que eu abomino minha própria alma, certa feita Jonathan Edwards disse, o orgulho é como uma cebola, então você tira uma camada e acha que chegou ao fim, então descobre que tem outra camada e você tira e descobre que tem outra camada de orgulho debaixo daquela, eu outra camada e outra camada, e os pastores de forma geral estão mais sujeitas ao orgulho, por causa da natureza pública do trabalho ministerial.

O puritano Richard Baxter disse, muitas vezes o orgulho é quem escreve o meu sermão, e o orgulho vai comigo ao púlpito e desce comigo no púlpito, a história conta que certa feita após o puritano John Bunyan ter pregado, eles desceu do púlpito uma mulher veio a ele e disse; pastor seu sermão foi maravilhoso, então ele responde você foi a segunda pessoa que me disse isso, a primeira pessoa foi o diabo falando no meu coração. Os puritanos odiavam o orgulho.

Decadência moral e espiritual dos movimentos Pentencostais

Essa é a decadência no meio, o orgulho tomou os corações de muitos homens, e eles não aceitam ensinamentos que contrariem seus princípios dogmáticos, eles não querem viver uma vida de oração e renuncia própria, e o que temos hoje é um punhado de homens intelectuais que querem sistematizar a visão deles na bíblia, querem mostrar que seus cinco pontos soteriológicos estão corretos e que os outros estão errados, o orgulho os afundou de modo que não vemos mas a presença de Deus na vida de crentes.

Como disse Rev. Augustus Nicodemos Lopes: Os puritanos davam muita ênfase na certeza plena da sua salvação. Sabiam que o propósito do homem é “glorificar a Deus e gozá-lo para sempre”

A decadência sempre vem pela falta de humildade, por se dogmatizar, por se ensoberbecer, por achar que podem sentar no trono de Deus e dizer, isso é assim, e não aceitam a palavra, e deixam de buscar a Deus. Vivem de intelectualidade e assim em muitas igrejas não há mais orações fervorosas. .

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!