Plano B do PT pôs o Brasil na vanguarda do atraso

12/03/2018 06:01
12 DE MARÇO DE 2018 - Coluna do Cláudio Humberto
 
PLANO B DO PT PÔS O BRASIL NA VANGUARDA DO ATRASO
Apontado como uma das opções do PT a Lula, na eleição presidencial, o ex-ministro Celso Amorim deve ter maior afinidade ideológica com a turma de Jair Bolsonaro, que certamente aprecia o seu nacionalismo botocudo, que há décadas vem causando estragos. Foi o caso da reserva de mercado da informática, da qual foi um dos ideólogos, que atrasou o desenvolvimento nacional em pelo menos uma década.
   
VANGUARDA DO ATRASO
Em seu livro Lanterna na Popa, Roberto Campos registrou a ignorância de Amorim e Luciano Coutinho, parceiros do protecionismo atrasado.
   
PIRATARIA ALEGRE
Amorim e Coutinho não distinguiam “pirataria alegre de autonomia tecnológica”, dizia Campos. A dupla se reencontrou no governo Lula.
   
CHEFE DE CARTÓRIO
“Enfant terrible” da ditadura, Celso Amorim foi designado presidente da Embrafilme, cartório do regime militar que bancava o cinema nacional.
   
FALTA EXPLICAR
Celso Amorim também não explicou a esquisita tentativa de fazer o Brasil comprar baterias antiaéreas russas Pantsir-S1 por R$3,2 bilhões.
   
DF TEM 35 OFICIAIS DA PM GANHANDO ACIMA DO TETO
Entre os marajás do serviço público do Distrito Federal, há 35 coronéis, majores e capitães da Polícia Militar que em janeiro receberam gordos salários acima do limite constitucional de R$ 33,7 mil, correspondentes aos vencimentos de ministro do Supremo Tribunal Federal. Entre os campeões dos altos salários, há três tenentes-coronéis e uma coronel que receberam bem acima do teto mesmo após todos os descontos.
   
CAMPEÃO APOSENTADO
O maior salário na PM de Brasília, em janeiro, foi do tenente-coronel Helio Ferreira da Costa, da reserva, que recebeu R$ 37,7 mil líquidos.
   
MULHER NA LIDERANÇA
Entre os policiais militares da ativa, o maior salário foi o da coronel Andreia Gonçalves Bastos, com exatos R$36.896,49, também líquidos.
   
FESTA NA POLÍCIA
O balanço final traz 16 tenentes-coronéis, nove majores, oito coronéis e dois capitães que receberam mais que os ministros do STF em janeiro.
   
ALOYSIO DEVE FICAR
O palpite – e a torcida – de diplomatas que atualmente trabalham em Brasília, no Ministério das Relações Exteriores, é que o chanceler Aloysio Nunes desistirá da eleição e continuará no cargo até dezembro.
   
VIVA O CAMPO
Após o crescimento chinês de 13%, em 2017, garantindo 70% do primeiro crescimento do PIB em quatro anos, o setor de alimentos continua dando boas notícias ao Brasil. Derrubou o ritmo da inflação em fevereiro, quando o IPCA foi o mais baixo nos últimos 18 anos.
   
APOSTA É DÍVIDA
O líder do PSDB na Câmara, deputado Nilson Leitão (MT), ainda aguarda Jean Wyllys (PSOL-RJ) honrar uma dívida. Ele apostou que Dilma escaparia do impeachment. Mas até agora não pagou o jantar.
   
É DA BOCA PRA FORA
Na Bahia, ninguém acredita que ACM Neto (DEM), ainda tenha dúvidas sobre a própria candidatura ao governo estadual. Reeleito prefeito de Salvador com 74% dos votos, ele lidera com folga todas as pesquisas.
   
NÃO CHEGA AO JUDICIÁRIO
A ministra aposentada do STJ Eliana Calmon disse à TV do Migalhas, prestigiado site de notícias jurídicas, que a Lava Jato não vai chegar ao Judiciário, segundo procuradores disseram a ela, por orientação da defesa dos delatores. “Os juízes ficam e os advogados se inutilizam...”
   
QUEM PERDE E GANHA
O troca-troca partidário mostra que o Solidariedade é o que mais tem perdido parlamentares. O sigla do deputado Paulinho da Força (SP) vai perder faturamento na divisão do bolo bilionário do fundo partidário.
   
UM DEPUTADO VOLÚVEL
No troca-troca partidário, o deputado Sérgio Zveiter (RJ), que já foi do MDB, usou mensagem de Whatsapp, em vez de comunicação oficial, para informar aos deputados do Podemos sua filiação ao DEM.
   
BLAIRO FICA
Uma dezena de ministros deve deixar os cargos até 7 de abril para se candidatarem a cargos eletivos em outubro. Só que não: Blairo Maggi (Agricultura) desistiu de retornar ao Senado. Continuará ministro.
   
PERGUNTA NO PARLATÓRIO
Depois de o criminoso confesso Joesley Batista ser solto por “excesso de tempo” na prisão, também serão soltos os 248 mil presos provisórios brasileiros, alguns detidos há anos?
 
   

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!