PT jogou chuva de imoralidade em todo o país

13/04/2018 07:19
Por JORGE OLIVEIRA
Resultado de imagem para chuva
PT JOGOU CHUVA DE IMORALIDADE EM TODO O PAÍS
 
Diário do Poder
 
Rio - Eu não sei se você sente a mesma coisa, mas acho que o Brasil mergulhou na sua pior decadência moral desde que o Partido dos Trabalhadores assumiu o poder. Tudo que está aí foi provocado pelos petistas: o Temer, a Lava Jato, o Lula, a Dilma, a Gleisi, o Zé Dirceu, o MST, o Stédeli, os empreiteiros, os doleiros, o mensalão, os contraventores, a violência, o Cabral, o Pezão, enfim, tudo que se refere a patifaria o PT está envolvido.
 
Parece que a turma do PT subiu em um foguete e lá de cima, ao avistar a terra, mirou o Brasil e jogou uma chuva de imoralidade que contaminou todo mundo. Do mais simples servidor ao mais alto escalão da república, todos foram molhados por essa chuva indecente. A anarquia é geral: os ministros dos tribunais superiores vivem se ofendendo a cada sessão; os amigos do Temer são presos; um ministro do STF solta o Maluf; e um bando de militantes ameaça a presidente do STF vandalizando a sua residência.
 
Conclui-se, portanto, que a esculhambação é geral e o despreparo dos nossos governantes é alarmante. Tudo é feito no improviso. Veja, por exemplo, a intervenção no Rio de janeiro. Foi só as tropas do Exército chegarem às comunidades que os milicianos e os traficantes decidiram matar mais policiais e intensificar os tiroteios que normalmente acabam com a morte de inocentes. Há quase um mês nem rastro dos criminosos da vereadora Marielli. O Exército adota nas favelas a estratégia de ocupação da ONU em países sitiados por guerra ou devorados por fenômenos naturais como vulcão, temporais, terremotos ou outro tipo de tragédia, operações inúteis para combater a criminalidade carioca.
 
Ora, já se sabia que a violência no Rio não iria acabar da noite para o dia com os brucutus do Exército nas comunidades. A cidade está acéfala de governante. O Pezão não existe, virou marionete. Recolheu-se e assiste a cidade afundar sentado em uma poltrona repetindo que ainda é “o governador e quem manda no estado é ele”, como um maluco no pátio de um hospício. O prefeito está mais preocupado com a caixinha dos cultos evangélicos do que com a administração da cidade. É uma calamidade imaginar que o Rio de janeiro está entregue às traças e seu povo em desalento, sem salários, sem segurança, sem saúde, sem escola e sem governo.
 
Todos foram contaminados pela chuva da imoralidade petista. O Pezão e o Cabral, o chefe da organização criminosa, eram aliados de Lula. A Dilma tratava o Pezão como um bichinho de estimação, como se aquele homenzarrão, de orelhas arroxeadas e de pés avantajados fosse de um planeta distante. Várias vezes elogiou a sua atuação como governador até aparecer o escândalo da Lava Jato que botou a metade do secretariado na cadeia. Essa turma do MDB fluminense foi forjada pelo PT e o seu escultor chama-se Lula da Silva que não cansava de enaltecer o Cabral como o mais “honesto” e o mais “sério” da história do estado.
 
O PT avacalhou o país desde que começou a esvaziar os cofres públicos. O pessoal do andar de baixo seguiu o exemplo dos de cima e começou a meter a mão também. Atualmente o que mais se ouve na cidade é a sirene da Polícia Federal acordando empresários e políticos bandidos.
 
A coisa está tão bagunçada que os ministros do STF já não tem convicção dos seus votos. A principal Corte do país está receosa de julgar o habeas corpus para soltar os criminosos do PT com medo de represália. Pressionados pelos militantes lulistas, seus ministros temem ser hostilizados nas ruas por exercerem o direito legitimo de julgar réus já condenados em segunda instância.
 
O pior é que isso é só o começo. Ainda vem chuva grossa por aí.
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!