Temer - crise de venezuelanos em Roraima - ações

12/02/2018 16:51
Temer anuncia criação de grupo para monitorar crise de venezuelanos em Roraima
MP sobre o tema será editada esta semana - Grupo protestou contra presidente
 
PALOMA RODRIGUES - Poder 360
 
O presidente Michel Temer afirmou hoje (12.fev.2018), em Roraima, que o Brasil está em posição de “piedade” e solidariedade em relação aos venezuelanos imigrantes, que buscam fugir da crise que enfrenta a Venezuela. “Mas isso demanda recursos e, mais do que isso, cooperação entre União, Estados e municípios”, disse.
 
Temer anunciou que o governo formará 1 grupo para auxiliar o Estado a lidar com a entrada de imigrantes. Uma medida provisória deve ser editada ainda esta semana para tratar do assunto.
 
Sobre a situação dos venezuelanos, Temer falou que o país trabalhará para atender as necessidades do grupo. “Nós vamos deixá-los passar fome? Vamos impedir que tenham serviços de saúde?”, questionou Temer.
 
“Quando estamos muito no gabinete você não tem a ideia de como está a situação”, disse. “Para mim, foi muito importante vir aqui. Eu não descansarei até solucionar as questões.” 
 
Participaram do encontro com o presidente a governadora do Estado, Suely Campos, a prefeita da capital de Roraima, Teresa Surita, e o líder do governo no Senado e senador por Roraima, Romero Jucá (MDB). Na comitiva presidencial estavam os ministros Raul Jungmann (Defesa), 
Torquato Jardim (Justiça), Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência da República) e Sergio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional).
 
AÇÕES IMEDIATAS 
 
 O ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciou uma série de medidas imediatas que serão tomadas pelo governo federal para ajudar a conter a crise no Estado. Dentre elas, novas ações a serem realizadas pelas Forças Armadas:
 
*coordenação da ação humanitária federal;
 
*duplicação do efetivo na fronteira;
 
*duplicação dos postos de controle no interior de Roraima;
 
*disponibilidade de 1 hospital de campanha para atendimentos;
 
*envio de recursos e de auxílio logístico para criação de 1 centro de triagem na fronteira.
 
A governadora de Roraima entregou uma carta com 12 pedidos ao governo federal. O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Sergio Etchegoyen, afirmou que a maior parte deles já está sendo atendida pelo governo federal.
 
Entre eles, o pedido de conectar Roraima ao sistema nacional de energia do Brasil. Hoje, o Estado é dependente da energia Venezuelana e enfrenta frequentes apagões.
 
PROTESTOS
 
Temer viajou hoje para o Estado depois do agravamento da situação nas cidades próximas a fronteira da Venezuela. Um grupo protestou em frente ao Palácio Senador Hélio Campos, sede do governo do Estado. De acordo com os jornais Folha de S. Paulo e Estadão, a manifestação é principalmente contra a privatização da Eletrobras.
 
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!